sexta-feira, 12 de julho de 2013

Brasil sabe de espionagem americana desde 2001‏

Depoimentos revelam que o governo já tinha conhecimento de que os EUA possuem meios de nos observar


Reprodução

Por pelo menos duas vezes, o governo brasileiro reconheceu que os Estados Unidos espionam os serviços de comunicações do país, segundo reportagem da Folha de S.Paulo. Uma na gestão Fernando Henrique Cardoso, outra na de Luiz Inácio Lula da Silva.

A primeira delas ocorreu em 2001, quando o então ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) da Presidência, general Alberto Cardoso, disse em depoimento à Câmara dos Deputados que os EUA desenvolveram um projeto de bisbilhotagem.

O país se unira a Reino Unido, Irlanda, Austrália, Canadá e Alemanha para criar o Echelon, que podia interceptar e-mails, voz e fac-símile, segundo um relatório do Parlamento Europeu divulgado naquele ano. O general, entretanto, disse que França, Itália e Rússia também tinham como espionar.

Já em 2008, o engenheiro eletrônico Otávio Carlos Cunha da Silva, diretor do Cepesc (Centro de Pesquisa e Desenvolvimento para Segurança das Informações) da Abin (Agência Brasileira de Inteligência), confirmou a existência do Echelon e mais: "Há o Echelon americano, o Echelon europeu", disse.

Segundo ele, toda comunicação "que está no ar" pode ser interceptada pelo projeto, que seria controlado pela NSA (Agência de Segurança Nacional) dos EUA, a mesma que, segundo o ex-agente Edward Snowden, tem vigiado o mundo todo por meio da internet.

Foram feitos vários relatos sobre a atuação do Echelon desde a década de 1970, mas há indícios de que ele foi criado em 1948, com a assinatura de um acordo de cooperação de inteligência entre Reino Unido, EUA, Austrália, Canadá e Nova Zelândia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua Opinião é Muito Importante Para Nós!

Ads Inside Post