terça-feira, 29 de outubro de 2013

Votação do Marco Civil da Internet é adiada mais uma vez


O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), afirmou nesta terça-feira (29) a votação do Marco Civil da Internet deve ficar para a próxima semana se não for fechado acordo sobre o texto. O projeto está trancando a pauta da Casa. Se não for votado, a Câmara poderá analisar apenas Propostas de Emenda à Constituição (PECs) e o Código de Processo Civil.

Em rápida entrevista ao chegar à Casa, Alves disse que vai consultar o relator, Alessandro Molon, para saber se é possível votar o projeto que cria uma espécie de 'Constituição da Internet'. "Vou ver com o relator se acordaram o texto. Se não, só semana que vem", afirmou. "É melhor levar um texto acordado para evitar obstrução e dificuldades no plenário", complementou.

O projeto tem como alguns dos pontos de embate no Congresso a obrigatoriedade de armazenamento de dados no Brasil e a chamada neutralidade da rede, que obriga os provedores a liberar a mesma velocidade de acesso para todos os conteúdos na internet. A responsabilização de provedores por publicação de conteúdos ilegais é outro ponto polêmico do texto.
Fonte: Agência Estado


domingo, 27 de outubro de 2013

Câmara pode votar Marco Civil da Internet esta semana


Apesar da polêmica, debates para a votação estão marcados para esta terça (29)


O inicio da discussão e votação em plenário do Marco Civil da Internet e do Código de Processo Civil (CPC) são os destaques do plenário da Câmara desta semana. As discussões e votações das duas propostas devem começar na terça-feira (29). Inicialmente, às 11h, será realizada sessão extraordinária para o inicio das discussões do marco civil. O relator da matéria, deputado Alessandro Molon (PT-RJ), defende a votação do projeto mesmo sem consenso.

Não há acordo para a votação do Marco Civil da Internet porque o assunto é polêmico e encontra resistência de algumas empresas atingidas pela legislação, como telefônicas e proprietárias de provedores de conexão. O projeto tramita com urgência constitucional e passa a trancar a pauta de votação da Câmara de Deputados a partir de amanhã (28).

Segundo o deputado Molon, as empresas que estão contra a matéria não querem o princípio da neutralidade da rede, que impede que as operadoras definam quais os tipos de acesso por parte do usuário teriam maior ou menor velocidade dentro dos pacotes oferecidos. Por outro lado, os debates para a votação do CPC estão marcados para a noite de terça-feira, também em sessão extraordinária.

O governo brasileiro quer aprovar logo a proposta, no contexto do questionamento das ações de espionagem dos Estados Unidos no ambiente virtual. No início de outubro, a presidenta Dilma Rousseff disse que, assim que for aprovado pelos parlamentares, o projeto do Marco Civil da Internet será enviado como proposta à Organização das Nações Unidas (ONU).

Na tarde de terça-feira, às 15h, a Câmara fará uma sessão solene para a entrega da medalha Suprema Distinção da Câmara ao ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. A homenagem ao ex-presidente foi proposta pelos deputados Simão Sessim (PP-RJ) e Eduardo da Fonte (PP-PE).

A medalha foi instituída em 2002 para homenagear governantes e personalidades brasileiros e estrangeiros que tenham prestado relevantes serviços ao Brasil. O distintivo já foi entregue a 15 pessoas, entre elas o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o poeta Carlos Drummond de Andrade e a coordenadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns.

Também estão na pauta de votações desta semana, algumas propostas de emenda à Constituição (PECs). Entre elas, a que dá prazo de 360 dias ao Supremo Tribunal Federal (STF) para enviar ao Congresso projeto de lei instituindo o Estatuto dos Servidores do Judiciário, que precisa ser votada em segundo turno, e a que efetiva sem concurso público os atuais titulares de cartórios de notas ou de registro, a chamada PEC dos Cartórios.


sábado, 26 de outubro de 2013

Armazenamento local de dados: a nova batalha no Marco Civil


do IDGNow
A inclusão de um dispositivo no Marco Civil da Internet  obrigando a guarda de dados de brasileiros no país vem preocupando diversas entidades setoriais e já se tornou a mais recente batalha  a ser travada no Congresso, semana que vem (a votação está prevista para segunda-feira,  28/10), ao lado de outros temas polêmicos como a neutralidade e a inimputabilidade da rede.
No início de setembro, em audiência pública no Senado Federal, o diretor de Infraestrutura e Convergência Digital da Brasscom, Nelson Wortsman, defendeu que a obrigatoriedade de armazenamento local de dados deve ser tratada em legislação específica e não no Marco Civil. E que as decisões de caráter temporal de acessos a dados devem ser separadas das de caráter estrutural (localização do dado). “Estamos misturando muito as coisas”, afirmou.  Segundo o executivo, não importa onde os dados estejam, o que importa é como e quem pode acessá-los. E o desenvolvimento de acordos bilaterais é o caminho para agilizar o acesso aos dados em qualquer parte do mundo.  A entidade, que congrega grandes empresas prestadoras de serviços, nacionais e multinacionais, como Microsoft, IBM e Google,  se reúne na próxima segunda-feira para tornar público seu posicionamento oficial sobre o texto do Marco Civil, e essa preocupação deve estar contemplada.
Já nesta sexta-feira, 25/10,  a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico – camara-e.net, na condição de entidade multissetorial da economia digital da América Latina, fez circular uma carta aberta  na qual manifesta-se publicamente sobre a proposta de inclusão no projeto do Marco Civil da obrigatoriedade do armazenamento dos dados de pessoas físicas e jurídicas brasileiras em “data centers” localizados no Brasil.
No texto a camara-e.net advoga que “o tema da guarda de dados, pela sua importância estratégica e pelos impactos que terá na vida dos cidadãos, das empresas, do governo e da sociedade brasileira nas próximas décadas, seja impreterivelmente inserido na mesma dinâmica democrática e participativa empregada para a elaboração do Marco Civil da Internet, com amplos debates, discussões e consultas públicas”.
A  camara-e.net, em nome de seus associados, se coloca à disposição do Congresso Nacional e todos demais interessados para discutir as diretrizes sobre segurança e privacidade de dados de pessoas físicas e jurídicas brasileiras na Internet, contribuindo com seu know-how técnico e prático, além da expertise na área de participação de seus associados no mercado, participando ativamente das audiências, debates e reuniões realizadas sobre o tema. E  sugere a imediata criação de um grupo técnico com o apoio de várias instituições da sociedade brasileira que possam apontar soluções, discutir democraticamente o tema e encaminhar as melhores opções.
Tanto a Brasscom quanto a camara-e.net consideram que a obrigatoriedade da guarda de dados no país afetará negativamente a competitividade do país nas próximas décadas e a sua inclusão ou exclusão de um mundo conectado onde parte significativa do conhecimento, da inovação, da competitividade da geração de riqueza passa pelo ambiente digital.
Falando a respeito do assunto no programa “Entre Aspas”, da Globonews, nesta sexta-feira, 25/10, o relator do projeto do Marco Civil, deputado Alessandro Molon (PT/RJ) deixou claro estar convencido de que a guarda local pode contribuir para definir qual lei será aplicada sobre esses dados, “por que nós já temos visto respostas de empresas transacionais, quando se questiona a proteção desses dados, que a proteção de dados de brasileiros guardados no exterior não se aplica à lei brasileira, mas a lei do país onde o dado está armazenado”. Na opinião de Molon isso é um problema sério.
‘É muito difícil a gente trabalhar o conceito de território na Internet”, afirma Eduardo Neger, presidente da Associação Brasileira de Internet, que também participou do “Entre Aspas”. “O princípio da internet é parte  da distribuição. E hoje, quando se fala em computação em nuvem, esse princípio é guiado pela eficiência da rede. Por isso esse é um assunto complexo que, do nosso ponto de vista, requer mais discussão.”
A obrigatoriedade da guarda local vai deixar a rede mais lenta? Vai tornar o serviço mais caro? Não seria mais interessante para o internauta brasileiro que o governo investisse em baixar o custo Brasil para tornar o país mais atraente para o investimento na construção de mais data centers no país, do que obrigar as empresas a fazerem este investimento arcando com altos custos da energia elétrica e dos equipamentos necessário no país?
Segundo a Brasscom, enquanto montar um datacenter no Brasil custa US$ 61 milhões, no Chile custa US$ 51 milhões e nos EUA US$ 43 milhões. E a manutenção também é mais cara. São US$ 100 milhões de manutenção anual aqui, US$ 71 milhões no Chile e US$ 51 milhões nos EUA.

Na opinião da Brasscom, o crescimento do mercado de data centers no Brasil será uma consequência natural da melhoria da competitividade.
Molon reconhece que talvez o lugar mais adequado para este debate fosse a o Projeto de Lei de Proteção de Dados Pessoais que é a próxima a ser encaminhada pelo Executivo ao Congresso., porque vai tratar exatamente deste ponto. “O problema é que o processo legislativo é tão lento no Brasil [o Marco Civil tramita há 2 anos] que este tema acaba sendo debatido no Marco Civil por uma questão de eficiência do processo legislativo”, afirma Molon.
A falta de consenso preocupa

Todos concordam que o Marco Civil deve ser votado o quanto antes. Mas o maior temor hoje é a falta de consenso sobre diversos pontos do Marco Civil, a começar pela questão da neutralidade de rede, passando pela questão da obrigatoriedade da guarda de dados no país, até a questão da inimputabilidade da rede, relacionada à exigência ou não de ordem judicial para a remoção de conteúdo.
O próprio Molon admite que, em função do regime de urgência, seu texto corre o risco de ganhar uma série de emendas. “A polêmica da guarda de dados é a mais recente, mas está longe de ser a maior polêmica. A guerra em torno da proteção da neutralidade da rede é decisiva para o uso que os 100 milhões de internautas brasileiros podem fazer da rede. É aí que estão os principais interesses. É contra isso que os provedores de conexão estão se mobilizando. E podemos ter emendas sim que possivelmente desvirtuem esse que é o coração do projeto. Isso é muito preocupante”, diz Molon.
A essência do Marco Civil é a neutralidade de rede. Sem ela pode ser que os provedores de conexão cobrem tarifas diferenciadas de acordo com o tipo de conteúdo trafegado na rede. O internauta perderia muito da sua liberdade de escolha, na opinião de Molon. “Tirar esse conceito é distorcer a internet como a conhecemos hoje”, afirma Eduardo Neger.
Molon considera o conceito de neutralidade de rede  intocável e acredita que a sociedade pode pressionar os parlamentares para que  o projeto seja aprovado sem mudanças nesse tema.
Outra questão polêmica é responsabilização dos provedores por conteúdos postados pelos usuários apenas após desrespeitarem ordem judicial para remoção desse conteúdo. Os críticos alegam que uma decisão judicial poderia fazer demorar a remoção de conteúdos ofensivos à honra, por exemplo, e defendem que o notice-and-take-down para tudo, não apenas para casos que infrinjam os direitos autorais ou os direitos conexos. “A notificação pessoal não está proibida e o provedor de conteúdo pode continuar retirando o conteúdo mesmo sem a ordem judicial. O ofendido pode continuar notificando o provedor. Mas nos casos em que houver dúvida o provedor pode esperar pela decisão da Justiça”, diz Molon.


sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Dilma insiste na adoção de marco civil multilateral


A presidente Dilma Rousseff (PT) insistiu nesta quinta-feira (24) em sua proposta para que a Organização das Nações Unidas (ONU) adote um marco civil internacional para proteger a privacidade dos usuários na internet, após as denúncias de que França e Alemanha também foram vítimas da espionagem americana.

"Defendemos, e como fiz na ONU, que haja marco civil multilateral para governança e uso da internet. Isso implicaria numa discussão sobre a proteção dos dados da internet para impedir que qualquer movimentação de combate ao terrorismo, que não cabe ao meu caso, do Brasil ou do celular da [Angela] Merkel, seja usada como álibi para guerra cibernética", afirmou a governante.

A presidente disse que sua proposta agora pode ser reforçada por países como a França e Alemanha, que, segundo denúncias surgidas na última semana, também foram alvo, como o Brasil, da espionagem eletrônica e telefônica por parte da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA, na sigla em inglês). "A França vai pedir que a cúpula da União Europeia discuta o assunto e [Angela] Merkel está questionando às claras essa violação a seu próprio [telefone] celular", disse.

De acordo com a governante, o Brasil recebeu a solidariedade de seus parceiros no Mercosul quando protestou por ter sido vítima da espionagem americana e "esta semana vários líderes mundiais se manifestaram de forma dura" sobre o assunto.

O governo alemão informou nesta semana que o telefone celular de Merkel pode ter sido grampeado pela NSA, enquanto documentos citados pela imprensa francesa mostraram que a mesma agência espionou 70,3 milhões de chamadas e mensagens eletrônicas na França. Tanto a Alemanha quanto a França protestaram formalmente e convocaram a consulta aos embaixadores dos Estados Unidos em seus países.

Dilma, que adiou uma visita de Estado que havia programado para este mês nos Estados Unidos, protestou na Assembleia geral da ONU por este caso de espionagem, que considerou "uma violação" da soberania brasileira, "uma afronta" e "uma falta de respeito" que não pode ser justificada pela luta contra o terrorismo.

Exame.


quinta-feira, 24 de outubro de 2013

2º Curso de Comunicação Popular do Paraná

O cenário internacional e brasileiro da comunicação, a luta pela democratização da mídia e experiências práticas de comunicação popular estão entre os temas da programação do II Curso de Comunicação Popular do Paraná, que será realizado de 25 a 27 de outubro, em Curitiba, na sede da APP Sindicato.
Entre os convidados confirmados estão Vito Giannotti e Claudia Santiago, do Núcleo Piratininga de Comunicação/RJ, Maria Lúcia Becker, professora da Universidade Estadual de Ponta Grossa, Elaine Tavares, jornalista militante de Santa Catarina, e Leonardo Severo, jornalista da CUT nacional, autor do livro Latifúndio Midiota. Diversos comunicadores e militantes da luta pela democratização da mídia no Paraná também estarão presentes. 

Confira a programação completa em: 

INSCRIÇÕES: 

As inscrições têm custo de R$ 15 por pessoa e podem ser realizadas até o dia 24/10.

Para participar, preencha aqui a ficha e envie o comprovante de depósito para o e-mail compopularpr@gmail.com. A hospedagem e alimentação ficarão a cargo dos participantes.

Democratização dos Meios de Comunicação e Mídia Alternativa serão debatidos a partir do dia 28

O Centro Universitário Internacional Uninter tem o prazer de convidar você para participar IV Semana Acadêmica de Comunicação Social, que será realizada entre os dias 28 de outubro a 1º de novembro, em Curitiba-PR. Nas edições anteriores, renomados profissionais da área de comunicação fizeram do evento um sucesso, aproximando a comunidade acadêmica da realidade profissional. A Fundação Blogosfero participará da mesa "Democratização dos Meios de Comunicação e Mídia Alternativa".

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Subcomissão aprova relatório de financiamento para mídia alternativa


A subcomissão especial para análise de formas de financiamento para a mídia alternativa aprovou na manhã desta quarta-feira (23), o relatório da deputada Luciana Santos sobre o tema. O documento será submetido a votação da Comissão de Ciência, Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI), na próxima quarta-feira (30), às 9h, no plenário 13, da Câmara dos Deputados.
Uma audiência pública para apresentação do relatório precederá a reunião. Foram convidados os jornalistas Renato Rovai, presidente da Altercom (Associação Brasileira de Empresas e Empreendedores de Comunicação); Luiz Carlos Azenha, do Blog VIOMUNDO; e Ivan Moraes Filho, do Centro Cultural Luiz Freire; além do professor doutor Venício Arthur de Lima, alguns dos colaboradores que contribuíram no trabalho em reuniões, audiências públicas e sessões de debates. 
O relatório está dividido em três partes principais. Primeiro foi feito a delimitação dos conceitos relacionados à mídia alternativa e desenhado um panorama das comunicações no Brasil. Em seguida a deputada faz um relato das atividades desenvolvidas pela subcomissão e sobre a opinião dos convidados ouvidos em sessões públicas de debates. Por fim, o relatório é concluído com indicações ao Poder Executivo e a apresentação de projetos de lei.
“O mais importante a se ressaltar – e esta foi uma premissa inicial que guiou as atividades de todos os membros da subcomissão que em tanto contribuíram para o seu funcionamento – é que o setor de comunicação não é um produtor de uma “mercadoria”. Na verdade, o que temos, na mídia, é a construção e disseminação da informação, um insumo de extrema relevância em uma sociedade democrática”, afirma a relatora. “Quanto mais plural é este setor, mais rico é este insumo, contribuindo, por conseguinte, para a formação de uma população cada vez mais politizada e cada vez mais participativa nas grandes questões nacionais”, indica Luciana no início do seu relatório.
Propostas

O relatório traz indicações no sentido de modernizar o ambiente legal e oferecer opções de financiamento, mas com a preocupação de manter a liberdade e a independência da mídia alternativa e de garantir sua posição oposta ao modelo comercial de exploração das comunicações.  Em resumo as proposições apresentadas pela subcomissão são as seguintes:

a)      Projeto de Lei que permite a inserção de anúncios publicitários na programação das emissoras de radiodifusão comunitária, até o limite de 20% do tempo diário de irradiação;

b)       Projeto de Lei que permite a inserção de anúncios publicitários na programação das emissoras de radiodifusão educativa, até o limite de 20% do tempo diário de irradiação, e dá outras providências;

c)       Projeto de Lei que obriga o investimento de, no mínimo, 20% das verbas destinadas à publicidade dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário Federais em divulgação por meio de emissoras de radiodifusão comunitária, de radiodifusão educativa e de veículos de comunicação caracterizados como microempresa, empresa de pequeno porte ou empresa individual de responsabilidade limitada;

d)      Projeto de Lei que cria o Fundo de Desenvolvimento da Mídia Independente;

e)      Projeto de Lei que transforma o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações em Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações e de Radiodifusão;

f)       Proposta de Indicação sugerindo ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio a criação de programas específicos de apoio a veículos de mídia alternativa, especialmente por meio do BNDES;

g)      Proposta de Indicação sugerindo ao Ministério da Cultura a criação de linhas de fomento destinadas especificamente a veículos de mídia alternativa;

h)      Proposta de indicação sugerindo à Casa Civil sugerindo o aporte de mais recursos no sistema público de comunicação, em especial na Empresa Brasil de Comunicação (EBC), de modo a tornar este setor estratégico nas políticas de democratização das comunicações no País.


por Assessoria de Comunicação



terça-feira, 22 de outubro de 2013

TV analógica só acabará após acesso de toda a população à TV digital, diz governo


A secretária de Serviços de Comunicação Eletrônica do Ministério das Comunicações, Patrícia Ávila, garantiu nesta terça-feira (22) que o sinal analógico de televisão só será desligado no Brasil quando for assegurada a toda a população a capacidade de recepção do sinal digital.
Ela participou de audiência pública na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática sobre o cronograma de transição da TV analógica para a TV digital.
Inicialmente, em decreto de 2006, o ministério previa o desligamento geral da TV analógica para 30 de junho de 2016. Porém, após analisar a experiência de outros países, o ministério publicou novo decreto em julho deste ano. Agora, o desligamento do sinal analógico será antecipado para 2015, nas regiões metropolitanas e maiores cidades do País. Em outras regiões, o desligamento ocorrerá, paulatinamente, até 2018.
O deputado Sandro Alex (PPS-PR), que propôs o debate, destacou que não acredita que o cronograma será cumprido. Não temos até o momento nenhuma segurança de que, até 2015, toda a população vai ter acesso ao sinal digital, disse. O governo conclui o mês de outubro de 2013 ainda promovendo estudos, salientou.
Modelos para baixa renda
Conforme Patrícia, para a família de baixa renda, o governo estuda adotar um ou mais dos seguintes modelos: subsídio em crédito para a aquisição de televisores digitais (por exemplo, por meio do programa do governo Minha Casa Melhor); subsídio à produção de set-top box [conversor para sinal digital] de baixo custo; a distribuição de conversores para a população, como fizeram México e Japão; distribuição de cupom para uso na compra de televisores ou conversores, como foi feito nos Estados Unidos.
Segundo a secretária, 69% dos consumidores brasileiros já trocaram de TV, e a capacidade de produção da indústria é de mais de 10 milhões de televisores em seis meses. Ou seja, se houver demanda, a indústria consegue atendê-la, afirmou.
Porém, dados apresentados pelo engenheiro de Comunicações da Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel), André Felipe Trindade, 80% das residências brasileiras ainda têm TV de tubo, e 59% da população do País não sabe o que é TV digital.
Subsídio do governo
Na audiência, representantes das emissoras de TV defenderam que o governo defina rapidamente uma política de subsídio para possibilitar que a população adquira aparelhos para a recepção do sinal digital. Precisamos de política pública de distribuição de conversores para a população de baixa renda, disse o presidente da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), Daniel Slaviero.
Desligar a TV analógica poderá privar a população de ver TV, ressaltou também o diretor-executivo da Associação Brasileira de Radiodifusores (Abra), Flávio Lara Resende. O governo só deve realizar o desligamento, em cada cidade, após 100% da população ter acesso à TV digital, complementou. Além disso, ambos defenderam um plano de comunicação abrangente do governo para esclarecer a população sobre a transição.
Crítica aos subsídios
Já o deputado Miro Teixeira (Pros-RJ) criticou a possibilidade de o governo subsidiar a aquisição de aparelhos para recepção do sinal digital pela população de baixa renda. Como a televisão é uma atividade comercial e lucrativa, não acredito que a solução para a população ter acesso à TV digital seja recorrer a recursos públicos, opinou. Ele acrescentou ainda que, com a convergência tecnológica, as novas gerações não assistem mais TV pelo aparelho, e sim pela internet.
A deputada Luiza Erundina (PSB-SP), por sua vez, também destacou o desconhecimento dos consumidores em relação à digitalização da televisão. Há despreparo do usuário do serviço, com deficit de informação sobre a TV digital, salientou. Para a secretária Patrícia Ávila, as campanhas de conscientização devem ser feitas principalmente pelas próprias emissoras.
Agência Câmara de Notícias


LUCIANA SANTOS APRESENTA PROPOSTA DE FINANCIAMENTO DA MÍDIA ALTERNATIVA

A subcomissão especial criada para analisar formas de financiamento de mídia alternativa reúne-se nesta quarta-feira (23), às 9 horas, para debater o relatório final da deputada Luciana Santos (PCdoB-PE). A relatora foi quem sugeriu a criação da subcomissão, com o objetivo de debater propostas para o financiamento de diversas formas de comunicação, desde blogs até rádios comunitárias.
A subcomissão, também discutiu, nos eventos realizados ao longo do ano, o próprio conceito de mídia alternativa. Segundo a deputada, o ponto de partida para os trabalhos da subcomissão foram as diretrizes para o financiamento da mídia alternativa tomadas pela 1a Conferência Nacional de Comunicação.
O relatório final vai apontar um caminho para a formulação de uma política pública para financiamento desses órgãos de mídia. Para Luciana, esse caminho deve incluir não só o uso de verbas de publicidade governamental, como também o uso de recursos de fundos públicos, como o Fundo de Universalização das Telecomunicações (Fust) e o Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel), constituídos por meio de contribuições de empresas privadas de comunicação.

Entre as opções de financiamento discutidas nas audiências públicas, Luciana elencou a combinação de venda de espaços publicitários e investimento direto do Estado; regulamentação dos critérios para distribuição da publicidade oficial, alteração das regras do FUST de modo a permitir a universalização da Banda Larga e a implantação de Política Nacional de Fomento à Produção Popular.
Luciana enfatizou que a discussão sobre financiamento não pode estar desvinculada do debate sobre a democratização da mídia e dos meios de comunicação e a regulamentação da Lei de Comunicação, com o fim dos monopólios e oligopólios.
A parlamentar defende a necessidade de o país encarar o debate sobre regulamentação da mídia brasileira. “A regulação da mídia é uma das reformas estruturantes que o Brasil precisa”, enfatizou, destacando que não deveria haver polêmicas sobre o tema no caso da radiodifusão, uma vez que trata-se é uma concessão pública e todas as concessões públicas têm agências reguladoras, como é o caso da Anatel, Anac e ANP, entre outras.
FONTE: BARÃO DO ITARARÉ / BLOG DO CLAUDIO ANDRÉ O POETA

Blog Falando Francamente e AblogPE recebem votos de aplausos da Câmara de Vereadores de Arcoverde


O Blog Falando Francamente (www.blogfalandofrancamente.com) e a Associação de Blogueiros de Pernambuco - ABLOGPE, receberam votos de aplausos da Câmara de Vereadores de Arcoverde pela realização do I ENCONTRO DE BLOGUEIROS DE ARCOVERDE realizado este ano com o objetivo de socializar informações e capacitar os blogs locais rumo a profissionalização da categoria.

Gostaríamos de agradecer ao Vereador Luciano Pacheco, autor do mesmo , assim como, os vereadores Miguel Leite de Siqueira, Joel Mario de Freitas e Everaldo Lira que se associaram aos votos.

Amannda Oliveira

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Kombi falta freio e atinge residência em Limoeiro

Por volta das 06h30min desta segunda-feira (21), o senhor José Rosivaldo de 48 anos e seu filho Caio Cesar de 23 anos, saiam para o trabalho em seu veiculo, uma Kombi branca de placa MNG-4673, quando a mesma faltou freio na descida da Rua frei Estevão, centro de Limoeiro.







Leia mais em Limoeiro em Foco

domingo, 20 de outubro de 2013

Taxista que ateou fogo na casa em Vitória se joga da ponte Cascavel de Gravatá

Informações que acabam de chegar a Redação do Blog A Voz da Vitória confirmam que o taxista Roberto Gomes da Silva, de 39 anos, cometeu suicídio na manhã deste Domingo (20). Ele se jogou da Ponte Cascavel, localizada na BR 232, altura do município de Gravatá, Agreste do Estado, abandonando o seu veículo na rodovia.
Roberto Silva, conhecido por “Bebel”, momentos antes do suicídio, havia ateado fogo em sua residência localizada na Rua Adolfo Feliciano de Albuquerque, nº 115 – Bairro do Livramento, em Vitória de Santo Antão, Mata Sul do Estado, após desentendimento com a sua esposa, identificada inicialmente por Clea Maria, proprietária de uma Floricultura no Centro de Vitória.
Segundo informações, o seu corpo encontra-se no Hospital Virgínia Guerra, em Gravatá, aguardando para ser encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Caruaru. Um dos irmãos de Bebel e alguns amigos acompanham o translado do corpo.
Conheça em detalhes este caso clicando AQUI. 

Clea & Bebel viviam uma crise conjugal. Foto: Facebook.


sábado, 19 de outubro de 2013

Centenário de Vinicius de Moraes - Google Doodle - 19-10-2013

Centenário de Vinicius de Moraes - Google Doodle - 19-10-2013:
Centenário de Vinicius de Moraes

Google faz homenagem ao Centenário de Nascimento de Vinícius de Moraes

'Poetinha' completaria 100 anos no próximo sábado (19); veja algumas das homenagens que vão acontecer em São Paulo, Rio de Janeiro e outras capitais

Diversas homenagens foram preparadas para Vinicius de Moraes, que chegaria aos 100 anos neste sábado (19) em cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte e Salvador.
São exposições, espetáculos e rodas de leitura que relembram o trabalho do poeta, músico, compositor e escritor carioca que marcou a cultura brasileira.


veja reportagem sobre: http://g1.globo.com/videos/rio-de-janeiro/rjtv-2edicao/t/edicoes/v/cariocas-celebram-o-centenario-de-vinicius-de-moraes/2898373/

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

OROBÓ: Partida de Futebol, Churrasco e Música ao Vivo na Inauguração do Campo de Futebol de Matinadas

O vice-prefeito e o vereador de Orobó - Dui do Bujão e Manuel Mariano, respectivamente, realizaram o sonho dos  jovens desportistas de Matinadas/Orobó, com a inauguração do campo de Futebol, nessa última quarta-feira (16).

Tudo aconteceu da forma planejada com belíssimas partidas de Futebol e em seguida, foi servido um delicioso Churrasco aos Jogadores e a todos os presentes. 

E para abrilhantar ainda mais a festa. O cantor, compositor e tecladista da comunidade (GENIVAL JOAQUIM) deu um belo Show ao estilo Nordestino que deixou todos bastante felizes.

O deputado estadual Zé Maurício por motivo superior, não pôde se fazer presente, mas, foi bem representado pelo seu pai e ex-prefeito de João Alfredo, Severino Cavalcanti que sempre participou dos grandes eventos sociais e políticos de Orobó. O mesmo ficou encantado com a partida de futebol e a alegria da população matinadense.

Durante o Show do GENIVAL, o cantor convidou o vice-prefeito Dui do Bujão e o vereador Manuel Mariano para darem uma mensagem  aos presentes, os quais usaram da palavra parabenizando a todos os jogadores, ao proprietário do campo de futebol (Jeremias), a Zelito, Adriano, Zé Guilherme, seu Pedro, D. Maria Da Paz e Damião - Mulungu , Luciene - Feira Nova,  e enfim a todos que ali estavam.

Durante a festa, os jogadores demonstrando muita satisfação, agradeceram por diversas vezes ao vice-prefeito Dui do Bujão e ao vereador Manuel Mariano, por terem alugado o campo de futebol de Jeremias em Matinadas. Eles disseram que estavam sem um lugar, há bastante tempo para a prática do esporte. 

CHURRASCO EM COMEMORAÇÃO A INAUGURAÇÃO DO CAMPO DE FUTEBOL DE MATINADAS/OROBÓ - 16/10/2013


































Ads Inside Post