sábado, 30 de novembro de 2013

Enfermeira lança nota repudiando agressão de Major pernambucano

O Senhor que se diz um policial respeitado pela corporação que o senhor faz parte, vai ao Blog do Jamildo, me faz uma série de calúnias infundadas. 

Cita até o Pobre o Nietzsche, para mostrar uma erudição desnecessária para calunia e difamar uma pessoa que se quer o senhor conhece. De onde o senhor em sua vã filosofia retirou a ridícula ideia que fui uma candidata derrotada nas últimas eleições. O senhor como bacharel em Direito, sabe melhor do que eu, pessoa a qual o senhor infere de ignorante, pois desconhece meu currículo Lattes. Que para a justiça brasileira quem acusa cabe o ônus da prova. 

E mesmo que eu tivesse sido candidata derrotada...estamos em uma ditadura HUGUIANA, onde não podemos nos manisfestar??? Acho que o senhor leu a Constituição Federal, e se não o leu com atenção corra para faze-lo, pois passou-se por ridículo.

Agora tenho a prova incabal que fui agredida sim por seus policias, permita a ousadia de chamar o Sd Gilson, a Sd Gercina, o Sd Alvarenga e o Sd Mayo de "seus", pois a forma como o senhor saiu em defesa de profissionais que comprometem a dignidade da PMPE e...

continue lendo clicando AQUI.



PREFEITO DE OROBÓ: VOCÊ MENTE TÃO BEM QUE PARECIA VERDADE...

PREFEITO DE OROBÓ: VOCÊ MENTE TÃO BEM QUE PARECIA VERDADE...





VOCÊ NÃO CUMPRE NADA!

Talvez agora você só engane crianças. Elas ainda acreditam em Papai Noel.

No início do mês de outubro tivemos uma reunião. Eu, Professora Madalena, representante do Sindicato dos servidores em Educação de Orobó,e o Senhor José Martins, representante estadual do SINTEPE, para assuntos municipais. Na ocasião o prefeito nos recebeu na Câmara dos vereadores onde também estava presente o Secretário de Administração José Maria Junior. A conversa fluiu amigavelmente e eu e Martins saímos satisfeitos. 

SR. Prefeito; você prometeu repassar a documentação referente a prestação de contas das receitas e despesas com o FUNDEB, Documentação relativo ao Fundo de Previdência e que faria todo o possível para pagar o Décimo terceiro Salário dos professores agora junto com o pagamento de novembro, até para dar ênfase ao desenvolvimento do Comércio e satisfazer a categoria, ansiosa por um dinheiro a mais, nesta época festiva, onde todos se preparam para Festa da Padroeira e por conseguinte comprar suas roupas e acessório como já foi tradição dos Gestores dos últimos dezesseis anos. Devo também ser verdadeira quando digo que você disse- nos que estava com dificuldade financeira. No final ficou acertado que você, caso não pudesse pagar integralmente, adiantaria 50% do décimo junto com o salário de novembro e a outra metade dia 20 de dezembro, quando se encerra o prazo para pagamento desse salário extra que é Direito do trabalhador.

O Senhor mesmo falou que seria muito bom, pois o povo teria dinheiro na Festa e no Natal. Infelizmente, a Música de Zezé de Camargo cai como uma luva, relacionada a sua pessoa. Mentes Tão bem Que parecia VERDADE... Você Não Cumpre Nada!

Lembro-me, que em uma ocasião anterior ,final de maio, estive na Prefeitura e conversando comigo você disse que iria pagar 50% do Décimo em Junho , pois o dinheiro já estava disponível em caixa. A seis meses atrás você tinha o dinheiro e agora não tem mais? Pode me explicar Como ele saiu do caixa? Será que dinheiro agora tem ´pés para andar ou asas para voar? Estranho!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Se você não pôde pagar 50%, que foi o combinado agora, como em dezembro arranjará  verbas para pagar o Décimo integral, o salário referente ao mês de Dezembro e o terço de Férias? Conforme manda a lei do FUNDEB esses débitos devem serem pagos até 31 de dezembro. Será que Nossa Senhora da Conceição vai fazer chover dinheiro Pelas ruas de Orobó em Procissão? Não é blasfemando . Tenho muito respeito pela Santa. Só quero mostrar aos leitores que o Dinheiro do FUNDEB ,está sendo utilizado indevidamente. Pois a essa época , nos anos passados, com exceção do ano anterior todos nós já estávamos com nosso décimo no bolso, ou melhor nas lojas de roupas ,calçados e acessórios.

Hoje passei em Orobó e vi as lojas vazias e os logistas com cara de velório. Um deles, Chegou a comentar comigo que nunca se viu tamanho vazio nesta época. Que o dinheiro de Orobó evaporou no último ano.

   Boas festas Prefeito, e que Nossa Senhora da Conceição lhe proteja e lhe faça ouvir a voz da razão!


http://comdeuseaverdade.blogspot.com.br/

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Molon explica o que é Marco Civil da Internet com Neutralidade da rede e Liberdade de Expressão

João Arruda explica o #MarcoCivil da Internet

SCJ e Petrobras abrem seleção para contratação temporária


As dez vagas são destinadas à coordenação de polo e educador físico
A Secretaria da Criança e da Juventude, por meio do convênio com a Petrobrás, abrirá seleção simplificada para contratação temporária de nove educadores físicos e um coordenador de polo. As inscrições serão realizadas no período de 29 de novembro até 12 de dezembro, no horário das 8h às 12h, apenas na sede da Secretaria da Criança e da Juventude, na av. Cruz Cabugá, nº 1211, Santo Amaro.
Leia mais... Clique AQUI.




2º ENCONTRO DE BLOGUEIROS E ATIVISTAS DIGITAIS DE GOIÁS

Acontece no dia 30 de novembro o 2º Encontro de Blogueiros e Ativistas Digitais de Goiás. A atividade, que ocorrerá na Assembleia Legislativa de Goiânia, a partir das 8h, reunirá blogueiros, jornalistas e personalidades políticas para debater temas como a liberdade de expressão na Internet e a democratização da mídia. As inscrições podem ser feitas online e é cobrada apenas uma lata de leite em pó lacrada para garantir a participação no evento.
Dentre os convidados, estão nomes como Altamiro Borges (presidente do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé), Rodrigo Vianna (O Escrevinhador), Conceição Oliveira (Maria Fro), além de Camila Marques (Artigo XIX), do professor Raílton Souza (Blog do Professor Railton Souza) e parlamentares de partidos diversos.

Dilma e Armando reúnem-se no Palácio do Planalto


 
Presidente disse que visitará Estado ainda em dezembro
 
Por mais de uma hora, o senador Armando Monteiro (PTB) reuniu-se reservadamente com a presidente Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto, na tarde desta quinta-feira (28). Junto com outros parlamentares, o senador já havia almoçado com a presidente, no Palácio da Alvorada, nesta semana.
 
Segundo Armando, a reunião serviu para a discussão de projetos de interesse de Pernambuco e para a articulação de uma visita da presidente ao Estado ainda no mês de dezembro, quando deverá visitar obras importantes realizadas com recursos federais.
 
 “Discutimos assuntos e projetos de interesse de Pernambuco. Foi uma ótima reunião, muito produtiva”, salientou, ao sair do encontro nesta tarde. Armando disse ainda que Dilma está bastante atenta ao quadro político do Estado e muito bem informada sobre o cenário regional, no Nordeste.
 
Foi a segunda vez, nesta semana, que Armando se encontrou com a presidente. Na terça-feira, 26, o parlamentar almoçou com Dilma, no Palácio da Alvorada. Na oportunidade, o senador estava ao lado de um grupo de parlamentares da base de apoio ao governo federal.
 
Há 15 dias, Armando também se encontrou com o ex-presidente Lula, em São Paulo. O ex-presidente disse estar animado para se engajar na campanha de 2014, em Pernambuco.

Saloá recebe investimentos de R$ 1 Milhão em obras de infra estrutura



 A população do município de Saloá, no Agreste Meridional, recebeu nesta quinta-feira, 28, diversas ações de infraestrutura do Governo do Estado. As secretarias estaduais de Agricultura e Reforma Agrária, Cidades e de Articulação Social e Regional assinaram ordens de serviço para implantação de sistema de abastecimento d'água, instalação de kits de irrigação, drenagem e pavimentação, instalação de um posto do Detran, além da entrega de títulos de terra, somando cerca de R$ 1 milhão em investimentos.

O secretário de Agricultura Aldo falou do momento difícil que o campo passa com a estiagem e que a execução de obras de infra estrutura hídrica permitirá que  as gerações futuras não dependam mais do carro pipa. "Este Governo trabalha para que o desenvolvimento chegue ao interior pernambucano, para que todos possam viver com dignidade", disse. O prefeito Ricardo Alves disse que estava agradecido ao governador pelos investimentos para a melhoria da qualidade de vida do município.

A ordem de serviço para implantação do sistema simplificado de abastecimento d'água atenderá quarenta famílias do Sítio Pau Santo, com investimentos da ordem de R$ 139 mil. A Secretaria de Agricultura também entregou 64 títulos de posse da terra e kits de irrigação para produção de milho e palma forrageira. O agricultor Wilson Oliveira, da comunidade do Catimbau, disse que esperava esse título desde "moleque".

O secretário Danilo Cabral assinou ordem de serviço, no valor de R$ 214 mil, para a pavimentação e a drenagem do conjunto residencial Ubirajara Barbosa e para construção de uma praça no povoado de São Serafim. Está no valor de 200 mil. Além disso, foi autorizada a implantação de um posto de atendimento do Detran. " Esse conjunto de investimentos é resultado de uma decisão política do Governador Eduardo Campos, que trata todos por igual", afirmou Danilo Cabral. O secretário de Articulação Social e Regional, Aluísio Lessa, reforçou que a infra estrutura proporcionada pelo Governo reflete no desenvolvimento econômico e social do município.

Além de secretários municipais, vereadores e lideranças locais, também estravava presente o deputado Março Antônio Dourado.

Carnaval fora de época anima bezerros neste final de semana


 Bezerros Folia ano I

Flavio Melo, um dos primeiros associados da AblogPE  promove no mês de novembro o Bezerros Folia, ano I, comemorando os dez anos de atuação do bezerroshoje.com principal veículo informações online no município de Bezerros. O evento tem como atrações Dj Elvis animando na concentração a partir das 21h  e  Pierre A Pressão de Pernambuco fazendo a  festa com os foliões durante o percurso. 

PS4 chega as lojas brasileiras sem alarde


Console chega ao Brasil duas semanas depois do lançamento nos EUA. Foto: Divulgação
Depois de gerar grandes filas ao ser lançado nos Estados Unidos e no Canadá no último dia 15, o PlayStation 4 chegou ao Brasil nesta sexta-feira (28/11) sem gerar muita comoção. Ainda que os fãs do console da Sony tenham esperado sete anos pela chegada da nova geração do videogame, a expectativa para o lançamento por aqui foi bastante abalada pelo alto – e muito comentado – preço do produto: R$ 4 mil.

Se você está em dúvida sobre comprar ou não o novo console, a vantagem é que os sites gringos já publicaram vários reviews sobre ele, ainda que a maioria considere que é cedo para fazer uma avaliação precisa. Entre os pontos positivos mencionados por quem já usou o videogame está o design. Ele é elogiado por ser elegante, leve e silencioso; de acordo com a Sony, seu sistema de resfriamento foi otimizado. Outros aspectos que agradaram foram o controle robusto e confortável e a evolução visual dos gráficos, considerados melhores que os do concorrente Xbox One, lançado na sexta passada (21/11).
Outro ponto que conta a favor do PS4 é a possibilidade de usar serviços como streaming de vídeo e share sem precisar assinar a PlayStation Plus. Além disso, os compradores terão acesso gratuito ao serviço por um mês, com alguns jogos também de graça, como Resogun, Warframe, DC Universe Online e Contrast.

Há muitas outras mudanças em relação à geração anterior do console, como o poder de processamento dez vezes maior, maior resolução (até 1080p) e uma memória mais potente que a de seu predecessor. O canal do Youtube Unbox Therapy publicou um vídeo comparando as quatro gerações do PlayStation


Algumas novidades, no entanto, ainda não foram exploradas o suficiente pelos jogos já existentes para o console, como é o caso da tela touch screen no controle e da PlayStation Câmera, que pode ser comprada por fora.
Além disso, o número de jogos disponíveis até o momento é limitado, o que contribui para que muitos gamers prefiram esperar antes de investir no PS4. É o caso do estudante Ravi Morato, 25 anos: “Normalmente eu dou um tempo antes de comprar console, para ter um leque maior de jogos e esperar os preços baixarem. Por enquanto tem poucos jogos exclusivos tanto do PS4 quanto do Xbox One”, afirma.
Se estiver ansioso e não quiser desembolsar os polêmicos R$ 4 mil, uma possibilidade é comprar o console no exterior. Nos Estados Unidos, por exemplo, ele foi lançado por US$ 400. Sites como o Hotel Urbano oferecem até pacote para Miami com “Playstation 4 grátis”: por um custo menor que o do videogame, é possível passar cinco diárias na cidade americana e voltar com o jogo como bônus. Mas fique ligado: a Sony já anunciou que os PS4 adquiridos no exterior não terão garantia no Brasil.
Confira algumas das especificações do produto





Quadrilha que roubou Vereadora, Vice prefeito e populares em Passira é detida. Vejam as fotos


O Blog Aventura Passira segue firme buscando as informações de Passira e do Agreste em primeira mão e com EXCLUSIVIDADE.

Noticiamos que por volta das 21 horas de ontem (23), sábado, mais um veículo foi roubado na Terra dos Bordados, uma série de três roubos seguidos em menos de 12 dias. Pois bem, o veículo Fiat Pálio Preto 2013 foi localizado e a polícia militar da cidade de Cumaru, Agreste de Pernambuco, prendeu os três componentes de uma quadrilha de bandidos que aterrorizavam Passira nos últimos dias, causando o sequestro relâmpago do Vice-Prefeito, Edelson Gomes-PSB e da Vereadora Vanessa Gabriel-PSD.

Leia mais... Clique AQUI.

Série A do Campeonato Brasileiro pode ser paralisada por conta de problemas no Náutico



A duas rodadas do fim da Série A Brasileiro, eis que explode uma "bomba" que pode, de fato, paralisar a competição por tempo indeterminado. O pivô do imbróglio: o Náutico. Ou melhor, a diretoria do clube. Capitaneados por Martinez em uma coletiva nesta quinta-feira, os jogadores demonstraram insatisfação com a presidência do Timbu. Porta-voz do grupo, o volante revelou atrasos de dois meses no salário e falou ainda que os atletas que estavam machucados eram remunerados. Diante de toda essa problemática, o Bom Senso FC, movimento criado neste ano pelos jogadores para cobrar melhorias nas condições de trabalho no futebol brasileiro, afirmou em nota que o campeonato pode parar caso os alvirrubros não sejam pagos ou sofram algum tipo de retaliação dos diretores.

Vale lembrar que o próprio Martinez já havia sinalizado para a possibilidade de uma greve. Mas só por parte dos jogadores do Náutico se os salários não fossem depositados em suas contas bancárias. "Vamos dar um prazo para efetuarem o pagamento até amanhã (esta sexta-feira)", alertou.

Confira a nota do Bom Senso FC na íntegra:


"Nesta quinta-feira o Bom Senso FC tomou conhecimento dos problemas que os atletas do Clube Náutico Capibaribe estão enfrentando, em relação a atrasos de salários".

"Os jogadores estão cobrando o justo e o que é devido pelo clube. Sabendo da repercussão interna e das ameaças públicas sofridas pelos profissionais, o Bom Senso FC declara que caso exista alguma tentativa de retaliação aos atletas e o não pagamento da dívida, o Campeonato Brasileiro da Série A será paralisado IMEDIATAMENTE. Aguardamos soluções urgentes".

"Bom Senso Futebol Clube. Por um futebol melhor para quem joga, para quem torce, para quem apita, para quem transmite, para quem patrocina. Por um futebol melhor para todos".

Centro de Educação Física de Arcoverde sedia evento de MMA


A O2 Academia da cidade de Arcoverde-PE, promove 1º O2 combat, sábado, dia 30 de novembro de 2013, a partir das 20h, no Centro de Educação Física de Arcoverde. Durante o evento acontecerão 13 lutas, onde, 4 lutas de K1 "muay thai" as demais de MMA. Os atletas participantes virão dos estados do RN, PB e de PE. A pesagem ocorrerá no dia 29.11.13, às 19 h no coreto (Tom Chopim) Praça da Bandeira.  A grande estrela do evento é o lutador do UFC Jussier Formiga, que participará realizando um seminário de MMA na manhã do sábado(30/11), das 8 h às 12h. Jussier Formiga, também será um dos árbitros das lutas que acontecerão logo mais a noite.

Segundo o prof° Adjanilson, um dos organizadores do evento, uma mega estrutura está sendo montada, com todo conforto e qualidade para o público que prestigiará a grande noite;  uma das maiores preocupações dos produtores é quebrar o estigma de que o MMA é um esporte violente.
Vale a pena conferir esse grande evento de lutas que tornará Arcoverde a Capital do MMA, e consolida a cidade como um dos maiores polos de disseminação desse esporte


Lagoa do Carro sedia 12ª edição da Feira do Tapete e Artesanato

Fetalc oferece variedade de produtos para todos os gostos com preços diferenciados (Fetalc/Divulgação)
Fetalc oferece variedade de produtos para todos os gostos com preços diferenciados
Não é preciso viajar tão longe para comprar tapetes de boa qualidade. Perto do Recife, no município de Lagoa do Carro, existe um polo de fabricação do produto com uma variedade de peças e preços para todos os gostos. Reconhecida como a maior produtora de tapetes do Nordeste, a cidade da Zona da Mata Norte vai sediar, entre esta sexta-feira (29) e 1º de dezembro, a 12ª edição da Feira do Tapete e Artesanato (Fetalc). 

O evento é realizado anualmente pela Associação de Tapeceiras (Astalc) e já integra o calendário turístico de Pernambuco. Segundo a organização da feira, cerca de 60 mil pessoas devem visitar o local de exposições e gerar uma movimentação financeira de R$ 150 mil. A feira, aliás, é a única do gênero na região que reune entidades, artesãos individuais, prefeituras e programas sociais.

Este ano, o tema escolhido foi “Raízes pernambucanas” e cerca de 60 estandes vão reunir, além das tapeceiras e mestras da região, 100 artesãos do Agreste, Litoral, Zona da Mata e Sertão do estado. Entre os municípios polos do artesanato representados estarão Bezerros, Recife, Olinda, Tracunhaém, Feira Nova, Glória de Goitá, Caruaru, Tacaratu, Caraibeiras, Goiana, Salgadinho e Itamaracá. Os estandes dessas cidades vão estar no entorno das Praças da Soledade, Manoel Barbosa e na Quadra de Eventos, localizadas no centro de Lagoa do Carro.

Quem visitar a feira terá boas alternativas de compras. Entre os produtos, o carro-chefe do artesanato da região: tapetes. Os preços dos sitens em exposição, de acordo com a organização da Fetalc, variam entre R$ 350 e R$ 500 e são dos mais variados formatos, bordados com motivos da azulejaria portuguesa, florais e modernas formas geométricas, com luzes e sombras em pontos e nós. Também serão comercializados itens em tapeçaria, como passadeiras, almofadas e pesos de porta que variam cujos valores estão entre R$ 10 e R$ 150. 

Além da comercialização de produtos, a Fetalc também oferecerá gratuitamente oficinas de artesanato nas seguintes modalidades: tenerife, tricô, tapeçaria,  macramê,  crochê, reciclado com guirlanda e árvore de Natal. As oficinas acontecem durante os dias da feira, sempre às 15h, no Clube Nacional, localizado em frente a Praça Manoel Barbosa. A organização infomou que as turmas têm capacidade para dez alunos em cada dia. 

Já as inscrições devem ser feitas antecipadamente através do e-mail  fetalc2013@gmail.com. Caso haja vagas, os interessados podem fazer a inscrição nos dias do evento, na sala coordenação da feira, situada na Praça Manoel Barbosa s/nº, Centro, próximo ao Mercadinho Kumamoto. A programação dispõe ainda de palestras. Entre os temas, “Microcrédito” (28 e 29/11, às 14h) e “Sete passos para o sucesso” (28/11, às 19h).

A Fetalc conta, ainda, com o Espaço PAB (Estandes do Programa do Artesanato Brasileiro), que reúne associações, sindicatos, mestres e municípios, e um estande do Espaço Sebrae, com artesãos independentes de diversas regiões. Outras informações podem ser obtidas no blog da feira (www.fetalc2012.blogspot.com) ou através dos telefones (81) 9711-5696/9222-2390/8126-9390/9483-6126/8178- 9849. 

A homenageada desta edição será a mestra tapeceira Maria José Bernardo, mais conhecida como “Mauzé do Tapete”, diplomada em tapeçaria desde 1973. Além da homenageada, participam da feira mestras renomadas como Luiza Costa, que por duas vezes foi agraciada na Fenearte, Terezinha Lira, que trouxe a tapeçaria para o município, Marina Felipe, conhecida como “Mestra Baia”, e Creuza Maria de Barros.

Tradição

A arte da tapeçaria chegou a Lagoa do Carro através da artesã e tapeceira Terezinha Lira, em 1975.  Segundo dados da Astalc, a tapeçaria movimenta cerca de R$ 50 mil reais ao ano no município. Lagoa do Carro é reconhecida nacionalmente com títulos como “Terra do Tapete” e “Capital da Tapeçaria” no Nordeste. A cidade tem na tapeçaria sua maior fonte de renda. Mais de mil artesãs trabalham no segmento, através da associação, nas casas de famílias ou em fábricas da região.

REPÚDIO DO COMPETENTE SECRETÁRIO DE AGRICULTURA DE OROBÓ (PAULO BRITO)

REPÚDIO. O GOVERNADOR EDUARDO CAMPOS criou uma lei que obriga os PERNAMBUCANOS a pagar em dobro o IPVA dos veículos que não pagarem no vencimento os licenciamentos anuais. Esta lei só existe em PE. Hoje fui uma dessas vítimas e precisei desembolsar quase R$ 2.000,00. Imaginem se esse cara fosse o PRESIDENTE DA REPÚBLICA, eu mim mudaria para o exterior.Ainda bem que estou bem perto da PARAÍBA, por isso é possível suportar este governante, mas o reinado está acabando...

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Dez dicas para ter uma boa noite de sono


Algumas dicas para uma boa noite de sono são simples mas importantes, como:
  1. Não coma muito e evite cafeína, nicotina e álcool pelo menos 4 horas antes de ir para a cama;
  2. Mantenha um ritmo de sono: vá para a cama na mesma hora todas as noites e tente manter essa rotina nos fins de semana;
  3. Se não dormir em 30 minutos, levante-se e procure uma atividade relaxante como ouvir música suave ou ler;
  4. Evite fazer anotações, ler ou assistir a TV na cama;
  5. Tome um banho morno, tente relaxar e evite pensamentos desagradáveis. Quando o corpo está pronto para dormir, geralmente a temperatura dele cai. Um banho pode estimular a bioquímica do sono;
  6. Exercite-se mais cedo, sempre antes e nunca depois do jantar, ou pelo menos 3 horas antes de dormir;
  7. Escureça tudo! Geralmente, as pessoas dormem melhor em ambientes escuros;
  8. É difícil dormir sentindo fome; coma algo leve antes de deitar-se: uma maçã é uma boa opção;
  9. Caso você tenha insônia ou dificuldade para dormir, evite dormir durante o dia ou, se estiver muito cansado, procure dormir menos de 1 hora;
  10. Aprenda a dominar o estresse, faça um planejamento para diminuir o ritmo do dia- a dia, especialmente da segunda parte do dia.
Fonte: livro "Idade Biológica: comportamento humano e renovação celular", de Eliana Guimarães Pyhn e Maria Lúcia dos Santos, editora Senac São Paulo, 2003

PRF divulga resultados finais de etapas do concurso com 1.000 mil vagas



Por CorreioWeb


A Polícia Rodoviária Federal (PRF), por meio do Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/UnB), divulgou os resultados finais no exame de capacidade física, na avaliação psicológica, e a relação final dos candidatos não eliminados no preenchimento eletrônico da Ficha de Informações Pessoais (FIP). O concurso oferta mil vagas para policial rodoviário federal. 
Aprovados em todas as fases ainda serão submetidos ao curso de formação profissional. De acordo com o edital de abertura, a remuneração inicial é de R$ 6.106,81 para uma jornada de trabalho semanal de 40 horas. Segundo a PRF, os aprovados serão lotados em todos os estados brasileiros, mas haverá preferência para as regiões de fronteira.

Veja aqui seu desempenho.

Tirar a CNH vai ficar mais caro a partir de 1º de janeiro

Equipamento reproduz diversas situações comuns no trânsito cotidiano. Foto: Paula Carolina/EM/D.A Press
Equipamento reproduz diversas situações comuns no trânsito cotidiano. Foto: Paula Carolina/EM/D.A Press
A partir de 1º de janeiro, quem quiser tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) da categoria B, para guiar automóveis leves, terá que fazer mais aulas e pagar pelo menos R$ 200 a mais que o valor atual, que varia de R$ 800 a R$ 850. No primeiro dia de 2014 começará a vigorar a resolução 444/2013, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que torna obrigatório o uso de simulador de direção nas autoescolas antes das primeiras aulas em carros de verdade. Apesar da proximidade da data, nenhuma das 250 instituições vinculadas ao Sindicato dos Centros de Formação de Condutores do Estado de Pernambuco (Sindcfc/PE) adquiriu o equipamento. O diretor do sindicato, Luiz Oliveira Lima, garante que ainda há tempo de se adequar através do financiamento a juros baixos oferecido via Banco do Brasil e Caixa. Cada equipamento custa R$ 39 mil.

Pela resolução, o aluno terá que fazer cinco aulas de 30 minutos no simulador. As lições serão ministradas após o cumprimento das aulas teóricas e antes da realização do exame teórico. O equipamento eletrônico simula situações como dirigir na chuva, com neblina ou à noite. Também é possível fazer manobras e quando há colisão, o impacto é “sentido”. O treinamento é acompanhado por um professor e a presença do aluno é certificada pela biometria, obrigatória desde 2011 para evitar fraudes. 

De acordo com a presidente do Conselho Estadual de Trânsito de Pernambuco (Cetran), Semíramis Queiroz, o objetivo é prever situações que podem não ser vivenciadas nas aulas práticas. “São ferramentas para evitar acidentes. É semelhante ao que acontece com os pilotos de avião”. 
Na autoescola Santa Luzia, na Iputinga, as propostas de compra estão sendo analisadas. Segundo a funcionária Ginny Giuliana dos Santos, a empresa cumprirá a norma no prazo. “Como é um pouco caro estamos vendo a possibilidade de alugar o simulador. Temos uma proposta de pagar mensalmente R$ 2 mil com direito a manutenção e a 150 horas de aula”.

Outra saída para minimizar custos, segundo o sindicato, é o compartilhamento de simuladores. Mas o valor acabará repassado aos clientes. “Vai dar mais segurança ao motorista mas o preço está salgado demais”, opinou Maria Auxiliadora de Mendonça Gomes, 50 anos, que pretende tirar a habilitação.

Custo-benefício
Apesar de trazer mais segurança, o simulador, na avaliação do especialista em mobilidade César Cavalcanti, sacrifica financeiramente quem quer começar a dirigir. “Será que o treinamento atual está provocando um número extraordinário de acidentes? Qual a grande vantagem? É preciso contrastar com o custo”, observou. 

O simulador
O aparelho tem volante, câmbio, acelerador, freio, embreagem, buzina, limpador de para-brisa e outros itens de um carro real. A visualização da rua é feita através de telas de alta resolução.

5 horas aula de 30 minutos cada

São aplicadas exclusivamente àqueles que vão tirar 
a habilitação na categoria “B”

São ministradas após o cumprimento da carga horária relativa às aulas teóricas regulamentares, e antes da realização do exame teórico

As aulas são acompanhadas e supervisionadas pelo instrutor de trânsito, diretor de ensino ou diretor-geral do CFC

O simulador deverá ser instalado em uma área de no mínimo 15 metros quadrados com isolamento acústico 

Conceitos aplicados
Verificação das condições dos equipamentos obrigatórios e da manutenção de um veículo

Uso dos pedais e início da condução em 1ª marcha

Mudança de marchas ontrole e aperfeiçoamento do volante, embreagem e freio

Domínio do veículo em marcha à ré

Posição do veículo na via, velocidade e observação do trânsito

Entrada no fluxo do tráfego de veículos na via

Movimento lateral e ransposição de faixa de rolamento

Parada e estacionamento

Ultrapassagens

Condução e circulação em vias de tráfego intenso, em condições atmosféricas adversas, noturna e em egião montanhosa

Eduardo e Marina lançam a plataforma "Mudando o Brasil"



A plataforma online criada pelo PSB/Rede para apresentar as ideias que dão início à elaboração do plano de governo do partido já está no ar. Lançada na manhã desta quinta-feira (28) pelo governador Eduardo Campos, presidente nacional do PSB, e pela ex-senadora Marina Silva, em São Paulo, as propostas poderão receber análises e contribuições dos eleitores. Para isso, será preciso acessar o site Mudando o Brasil.

Ao entrar no site, os eleitores vão se deparar com um texto base para o Programa da Coligação, construindo pelos militantes do PSB e da Rede, que se aliaram em 5 de outubro para construir uma candidatura presidencial.

O texto apresenta desafios para o Brasil em nove áreas: reforma do estado; reforma urbana para criar cidades sustentáveis; planejamento estratégico e políticas públicas integradas; política intersetorial e promoção do desenvolvimento tecnológico; educação para o conhecimento e cultura como estratégia de desenvolvimento;  redução das desigualdades sociais e regionais; valorização da biodiversidade e dos recursos naturais; política de saúde; e segurança pública.

Confira ao texto base na íntegra:

ANTECEDENTES

No dia 5 de outubro, quando a Rede Sustentabilidade e o Partido Socialista Brasileiro anunciaram a decisão de formar coligação política e eleitoral em torno de um programa comum para 2014, apontaram, como essência desse programa, três objetivos principais e um método.1

Para habilitar os comentários, por favor, faça seu login.

OS OBJETIVOS

Manter as conquistas das últimas décadas e fazê-las avançar, realizando, contudo, uma apreciação crítica do conjunto do processo, de tal forma a potencializar os elementos que dialogam com a autonomia e emancipação popular, levando as demandas sociais legítimas a sua plena realização.

Aprofundar a democracia, impulsionada por distintos atores sociais, atualizando os processos decisórios à nova realidade da era digital.

Construir as bases para um ciclo duradouro de desenvolvimento sustentável, com ampla participação de todos os atores na promoção do progresso socialmente justo, ambientalmente sustentável e libertador das potencialidades criativas da humanidade.

O MÉTODO

Construir esta aliança programática de baixo para cima, no diálogo permanente com os cidadãos e cidadãs e as organizações da sociedade. A aliança político-eleitoral entre a Rede e o PSB começa, portanto, pela discussão do conteúdo programático como pré-condição para a participação nas eleições. Trata-se de método que visa antecipar, nas práticas da própria campanha eleitoral, o modo como se deseja governar o País. Queremos desenvolver articulações em rede, que não impliquem adesão no momento estrito da eleição, mas engajamento contínuo e comprometimento cidadão com o desejo de construir um país melhor.

DETALHAMENTO DOS OBJETIVOS

Para nos mantermos fieis ao método, começamos a detalhar os compromissos firmados no âmbito dessa coligação e a materializar os propósitos que são sua razão de ser de forma colaborativa, em um Encontro Programático que reuniu cerca de 150 pessoas de ambos os partidos. Esse é o resultado desse esforço que apenas inicia um processo amplo e democrático de consulta à sociedade.

Manter e avançar as conquistas econômicas e sociais

Nas duas últimas décadas o Brasil evoluiu positivamente pela redução da vulnerabilidade da economia, que compreendeu o fim de um processo inflacionário arrasador e a superação da fragilidade externa estrutural, que internalizava quase automaticamente as incertezas existentes no âmbito internacional. O país conquistou uma estabilidade que ampliou a autodeterminação de suas políticas macroeconômicas, como evidenciam as atuais relações com agências como o Fundo Monetário Internacional. A sociedade civil se fortaleceu e milhões de pessoas saíram da condição de extrema pobreza.

Esta estabilidade precisa ser preservada nas próximas décadas, fincada num compromisso de toda a sociedade com a responsabilidade fiscal, com uma política monetária vigilante e com a manutenção do regime de câmbio flutuante. Ao lado desses pressupostos, o país precisa de mais transparência com menos burocracia, para que melhore o ambiente de negócios, que deve ser capaz de promover um crescimento econômico que seja ambiental e socialmente sustentável.

É preciso compreender, contudo, que os avanços realizados ainda não são suficientes para superar as desigualdades sociais e equacionar desafios estratégicos, como a universalização da educação de qualidade e da saúde, além de outras políticas públicas a que a população ainda não tem acesso garantido.

Impõem-se, portanto, que no âmbito da gestão das políticas públicas se supere a prática de atuação fragmentária, incapaz de abranger a indivisibilidade dos direitos a que faz justiça a população. Falta, na prática, uma integração das políticas, uma perspectiva intersetorial, ou observância às diferentes ordens de transversalidade, sem as quais não se pode atender efetivamente as reivindicações e necessidades da população.

O modelo econômico carece de uma perspectiva estratégica, não raro limitando-se a prover respostas superficiais a pressões que privilegiam alguns setores, em detrimento da aplicação sistemática e planejada de recursos em áreas essenciais ao desenvolvimento do país e ao bem estar da sociedade.

O Brasil precisa avançar na capacidade de planejar as próximas décadas, com objetivos e metas a atingir. Para avançarmos mais, há um desafio que a sociedade brasileira precisa assumir: construir um modelo de desenvolvimento que não se organize a partir do particularismo das demandas dos diferentes grupos de pressão e poder, mas de uma perspectiva estratégica, comprometida com a emancipação e autonomia populares, com a soberania nacional, superando a inserção subalterna no contexto mundial, e com a sustentabilidade.

Tal modelo deve observar como elementos estruturantes a ampliação da autonomia popular; o combate às desigualdades com melhor distribuição da riqueza; o desenvolvimento sustentável, observados os recortes do desenvolvimento local e regional, a perspectiva territorial e cultural; os requisitos da economia verde; do empreendedorismo; da educação, ciência e tecnologia, da política de inovação.

Um modelo da espécie implica rever a noção de progresso, agregando-lhe um sentido mais humano, justo, solidário e respeitoso com as pessoas e com o planeta. Exige questionar as prioridades e os métodos de ação do Estado e enfrentar a concentração do capital, particularmente aquela que foi promovida recentemente com seu patrocínio direto – cujos resultados levam a mais do mesmo: falta de transparência, benefício a grupos de poder e baixa sustentabilidade.

Democratizar a democracia

O processo de construção da democracia brasileira teve inegáveis avanços desde o fim do regime militar. Regularidade de eleições diretas, funcionamento estável das grandes instituições públicas e alternância de poder.

No entanto, a base do funcionamento do sistema político permanece impregnada de práticas atrasadas, permeadas por uma persistente cultura patrimonialista, que se volta principalmente para acordos circunstanciais, ocupação de postos de poder e alocação casuística de recursos públicos. Nesse modelo, a governança tende a ser capturada por diferentes ordens de oligarquias, que se apropriam do Estado para impor seus interesses e obter benefícios que acabam por se realizar em prejuízo do conjunto da população.

Consequência dessa prática é o afastamento da população da participação política, transformando-a em mera expectadora no processo de tomada de decisões, o que erode um dos princípios fundamentais da democracia.

É necessária mudança profunda do sistema político para permitir a emergência de outro modelo de governabilidade, cujos alinhamentos se deem em torno de afinidades programáticas e não sob a lógica da distribuição de feudos dentro do Estado, do desmantelamento da gestão pública e do uso caótico, perdulário e dispersivo do orçamento nacional.

Para que isso aconteça, é imprescindível recuperar o papel da cidadania ativa como fonte de legitimidade da governabilidade e do direcionamento da ação do Estado, motivando a participação no controle social das políticas públicas. Nesse quadro tem importância fundamental atentar para as possibilidades da democracia digital; os institutos da democracia direta (plebiscito, referendo, projetos de iniciativa popular); a democratização do acesso à informação e ao conhecimento, o diálogo contínuo com os movimentos sociais e o enfrentamento das oligarquias, que encastelaram seus interesses e quadros no aparelho de Estado.

Outro tema que precisa se tratado como elemento central na reforma do Estado está relacionado à promoção e materialização da democracia está a garantia e o respeito aos dos direitos humanos, em cujo contexto deve haver uma atenção particular para com populações tradicionais – povos indígenas, quilombolas etc. –, bem como a garantia de igualdade de gênero, o fortalecimento da diversidade cultural, étnica, religiosa e sexual, e uma atenção particular para com populações indígenas e comunidades tradicionais.mulheres, negros, juventude e segmento LGBTTTs, (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros). Somente com um novo modo de fazer política, uma nova política, poderemos promover o desenvolvimento sustentável que melhore a qualidade de vida do povo brasileiro.

Desenvolvimento Sustentável

O desenvolvimento sustentável, longe de significar apenas um sinônimo linear de proteção ambiental, como muitos ainda pensam, é uma concepção de múltiplas dimensões integradas – de caráter econômico, social, cultural e ético. A dimensão ambiental tem um papel de relevo, não apenas do ponto de vista da proteção de ecossistemas, mas, sobretudo, como um eixo integrador de uma ideia de progresso na qual se substitui o império estrito das razões econômicas e o objetivo de diferenciação por meio da posse de bens materiais e de poder, por valores tais como, maior qualidade de vida para todos, conservação do planeta para as gerações futuras, soberania nacional, solidariedade e poder compartilhado. Buscamos um modelo caracterizado pelo respeito às diferenças, por espaços institucionais cooperativos de ampla visibilidade e pela construção de políticas públicas transversais, coerentes e socialmente legitimadas.

O desenvolvimento sustentável requer uma visão de longo prazo, com base em planejamento estratégico que estabeleça claramente as prioridades do país e a integração das políticas públicas, que rejeite a naturalização das injustiças e das desigualdades sociais. Exige mudança de cultura política para viabilizar instituições e políticas públicas capazes de promover o uso sustentável dos recursos naturais, o desenvolvimento tecnológico e a inovação, com uma matriz energética limpa, renovável e segura. Demanda a implementação de uma agricultura sustentável e pecuária mais eficiente, que supere as práticas predatórias, amplie o espaço da agricultura familiar e democratize o acesso à terra.

O modelo de desenvolvimento atual demonstra sua caducidade pelo volume crescente de profundas contradições entre a incapacidade de inovação e de renovação das instituições e o interesse geral da sociedade, com seu manifesto desejo de mudanças de várias ordens. Trata-se de um modelo paralisante da energia social, incapaz de mover-se no rumo das potencialidades do futuro, porque é regido por regras incapazes de absorver e operar o papel da dimensão socioambiental do desenvolvimento.

DESAFIOS ESTRATÉGICOS PARA O BRASIL

1. REFORMA DO ESTADO

(forma e conteúdo de uma nova forma de fazer a gestão da coisa pública)

Para que as políticas públicas possam ser efetivamente instrumento de inclusão social é fundamental que o Estado passe por um projeto de reinvenção, de tal forma que a maquina estatal seja posta a trabalhar em favor da população e não de interesses corporativos, ou daqueles setores que se apropriaram do Estado por práticas patrimonialistas. Implica, portanto, se pensada nessa escala, na reforma política, na transparência nos gastos públicos, no controle social das políticas públicas, na democratização do processo orçamentário e no planejamento participativo. O Estado que queremos precisa ser racionalizado, eliminando-se ineficiências, superposições, e a excessiva burocracia. Atingir tais metas implica um elemento de base, ou seja, vincular o exercício da função pública ao mérito. Nesse sentido, os Comitês de Busca consistem em uma estratégia interessante, pois permitem conciliar as habilidades do servidor às exatas necessidades da posição que irá ocupar na máquina pública.

Nessa mesma perspectiva, para que se possa criar uma lógica consistente de planejamento e intervenção na realidade, promovendo o desenvolvimento de políticas públicas que superem a exclusão e acelerem a inclusão social é fundamental que se repense o arranjo federativo, como elemento inerente à reforma do Estado brasileiro. Há que redesenhar a divisão de recursos, com maior alocação de receitas tributárias originárias aos estados e municípios. Ao mesmo tempo, cumpre revisitar as competências de cada ente federado. Não pode continuar cabendo à União a maior parte dos recursos orçamentários e aos demais entes, mais próximos da população, o maior conjunto de responsabilidades. Importante, ainda, pensar na necessidade de que decisões com forte impacto sobre os estados e municípios, como as sucessivas renúncias fiscais adotadas pelo governo federal, não sejam tomadas sem que os primeiros sejam ouvidos.

Outro tema que precisa se tratado como elemento central na reforma do Estado está relacionado à promoção e materialização dos direitos humanos, em cujo contexto deve haver uma atenção particular para com populações tradicionais – povos indígenas, quilombolas etc. –, bem como mulheres, negros, juventude e segmento LGBTTTs, (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros).

2. REFORMA URBANA PARA CRIAR CIDADES SUSTENTÁVEIS

O fato de que o Brasil seja uma sociedade urbanizada e que o processo de urbanização tenha ocorrido de forma acelerada faz com que o território urbano seja o local em que se materializa a exclusão social e as assimetrias historicamente presentes em nossa formação.

Ao se pautar a reforma urbana como desafio para criar cidades sustentáveis, sua dimensão consiste em construir as condições concretas que garantam o direito à cidade para todos os seus habitantes e à superação da exclusão social, o que significa universalizar o acesso à saúde e educação de qualidade e promover a qualidade de vida e o desenvolvimento das cidades com a articulação de políticas para habitação, saneamento, mobilidade, segurança pública, esporte, cultura, lazer, adaptação às mudanças climáticas e proteção de mananciais. Esse, contudo, também é o percurso que deve ser traçado para que tenhamos cidades efetivamente sustentáveis, do ponto de vista econômico, social e ambiental.

Observe-se que os distintos usos do espaço urbano – que se deve facultar à população e dos quais ela pode fruir – estão implicados com o deslocamento, porque a cidade é um fenômeno territorial. Este recorte traz à luz a importância ímpar da política de mobilidade, cuja missão não se esgota em si mesma, mas assegura acesso aos diferentes aspectos e possibilidades do meio urbano. Pensada em uma perspectiva inclusiva, portanto, a política de mobilidade urbana precisa ter como prioridade o transporte de massa, baseado em modais modernos, eficientes e ambientalmente orientados. Em seu conjunto, esse é o percurso que deve ser traçado para que tenhamos políticas de desenvolvimento urbano baseadas no direito à cidade, na inclusão social e na sustentabilidade.

3. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E POLÍTICAS PÚBLICAS INTEGRADAS

(para o desenvolvimento sustentável)

Para um governo que deseja realizar um projeto de desenvolvimento sustentável, construído sob a perspectiva da soberania no contexto internacional, é fundamental o planejamento a longo prazo, consolidando políticas de Estado. Tais políticas, contudo, não podem ser pensadas individualmente, sob pena de reduzir sua eficácia e, em o fazendo, não serem instrumentos de promoção de inclusão social. Deste modo, é fundamental que se valorize a intersetorialidade e transversalidade das políticas públicas, para que aos direitos humanos, indivisíveis por natureza, corresponda uma lógica de atenção integral.

4. POLÍTICA INTERSETORIAL E PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO

A trajetória recente de nossa economia qualifica o Brasil para rescrever seu padrão histórico de desenvolvimento, marcado internamente por iniquidade na distribuição de renda e riqueza e, externamente, por uma inserção subalterna na economia global. Superar esse legado requer, contudo, a concepção de uma política industrial que contribua de forma decisiva para a criação de empregos qualificados, com incorporação de tecnologia de ponta aos processos produtivos e que integre, em suas perspectivas estratégicas, a qualificação tecnológica da atividade agropecuária de grande e média escala e da agricultura familiar. Impõe-se, complementarmente, reconhecer o papel fundamental do planejamento logístico para aumentar a renda e a eficiência no campo, bem como a importância de se disseminar critérios de sustentabilidade em todos os seus segmentos. Essa compreensão ampla é fundamental para se superar a falsa dicotomia entre industrialização e atividade agropecuária.

É preciso, igualmente, aumentar de modo significativo a produtividade geral da economia. Impõe-se desenvolver uma obsessão pela qualidade, conhecer a realidade nacional e internacional de cada mercado e segmento, investir pensadamente na qualificação da gestão empresarial e do corpo técnico inerente às distintas atividades produtivas. Em uma era em que se articulam os espaços locais e global, não podemos ser apenas bons no que fazemos: é necessário que estejamos entre os melhores. Sob esta mesma perspectiva, faz-se necessário dinamizar a política comercial do Brasil, ampliando o conjunto de parceiros, desenvolvendo estratégias bloco a bloco, de forma a aumentar as possibilidades em termos de transações com o exterior.

Quanto ao desenvolvimento tecnológico é fundamental abandonar a lógica das ações pontuais e desarticuladas, para concebê-lo na dimensão estratégica, que implica a educação de qualidade, pesquisa pura e aplicada − incluindo a dimensão do financiamento −, aplicações tecnológicas em sentido estrito que chegarão, então, à produção propriamente dita. Não é suficiente, nesse sentido, que se pense apenas no elo final dessa cadeia, como tem ocorrido em muitas oportunidades em nossa história, pois a meta mais ambiciosa nesse terreno deve ser a de produzir de modo soberano e criar as pré-condições que materializem a inovação tecnológica como processo autônomo e recorrente, como potência social, econômica e ambiental, que permitirá a transição para a economia de baixo carbono.

5. EDUCAÇÃO PARA O CONHECIMENTO E CULTURA COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO

Outro desafio integrador do desenvolvimento está relacionado à promoção da educação e da cultura, fontes de uma cadeia interminável de desdobramentos sociais e econômicos. Educação sustentável implica estabelecer uma articulação entre passado, presente e futuro, por meio de uma escola mais aberta, mais acolhedora e capaz de dialogar com os temas e as tecnologias do século XXI. O enfrentamento das desigualdades educacionais faz parte da erradicação da miséria, não apenas por meio de medidas protecionistas, mas pela refundação da escola pública como referência de qualidade, de disseminação e criação do conhecimento científico desde a infância, de formação de cidadania, de difusão da cultura, do respeito à diversidade e da paz. No contexto da educação como promotora de desenvolvimento, inclusão social e sustentabilidade socioambiental apresentam-se como estratégias fundamentais a universalização do ensino em tempo integral e da educação infantil, para todos que desejarem.

6. REDUÇÃO DAS DESIGUALDADES SOCIAIS E REGIONAIS

O processo de produção de riqueza e renda, se pensado como um fim em si mesmo, não tem o condão de ampliar a qualidade de vida da população, nem tampouco o bem-estar essencial à construção de uma nação fraterna e justa. É necessário, portanto, que se desenvolvam políticas de Estado, no sentido de diminuir paulatinamente as desigualdades sociais e regionais, que de um modo geral se encontram mutuamente implicadas. Cabe observar, complementarmente, que um país mais justo contribui de modo decisivo para o desempenho mais adequado nos indicadores de saúde, educação, filiação social etc., fatores decisivos e diferenciais para o próprio processo de desenvolvimento econômico, que deve ter como virtude inerente erradicar condições degradantes de trabalho, que ainda persistem como realidade na sociedade contemporânea. Em seu conjunto o desenvolvimento deve, portanto, contribuir para a formação de um rico e consolidado capital social.

7. VALORIZAÇÃO DA BIODIVERSIDADE E DOS RECURSOS NATURAIS

Os temas relacionados a este desafio devem ser concebidos em sentido amplo e, deste modo, permitir que se estabeleçam suas relações com outros tantos desafios estratégicos do país, de que são exemplos, a concepção de um projeto soberano de desenvolvimento, a sustentabilidade de tal projeto, a valorização da vida e de uma cultura de paz, o aprofundamento da ciência, pesquisa e tecnologia, no sentido da preservação do meio ambiente e do uso racional e equilibrado de recursos naturais. É preciso que se compreenda, portanto, que enquanto valores essenciais, o respeito à biodiversidade e aos recursos naturais deve perpassar toda a ação dos grupamentos humanos, sendo elemento estruturante, portanto, das políticas públicas em geral e, consequentemente, do fazer do Estado.

8. POLÍTICA DE SAÚDE

Do ponto de vista dos interesses mais imediatos da população a questão de saúde apresenta importância ímpar. Trata-se, portanto, de fortalecer o Sistema Único de Saúde (SUS) e buscar a universalização dos serviços, com a qualidade a que todo cidadão faz jus. Essas metas requerem, contudo, um esforço de grande escala no campo do aprimoramento da gestão, em investimento na formação de profissionais da saúde e programas e projetos para promoção da saúde e prevenção de doenças.

Há que se considerar, complementarmente, a necessidade de melhor equacionar os esforços dos diferentes níveis da federação na promoção de uma política de saúde que atenda aos anseios da população e de avançar para encarar os desafios futuros relacionados com o novo perfil epidemiológico que se configura para a população brasileira (mais velha, mais urbana e mais sedentária).

E, na esfera política ampla, de colocar o Estado a serviço de suas atividades fins, subordinando-se a atuação da máquina pública ao bem comum, especialmente porque a cidadania deve ser exercida de forma equânime, em todas distintas porções do país, sem distinção de condição econômica, raça, etnia, gênero, orientação sexual etc.

9. SEGURANÇA PÚBLICA

O campo político composto por PSB / Rede compreende que a segurança pública não é uma questão técnica apenas, ou que se restrinja à discussão da organização das polícias, em suas diferentes conformações. Grande parte das questões de segurança repercute, por sinal, as iniquidades a que historicamente está submetida a nação brasileira, a desesperança em um futuro melhor e as fraturas e segregações que uma sociedade tão desigual gera e perpetua.

É preciso compreender, contudo, que tal percepção não pode conduzir ao equívoco de minorar a importância capital de se desenvolver uma política pública de segurança que articule diferentes elementos, como inteligência, interações com as comunidades assistidas, organização das polícias, cooperação entre diferentes instâncias de governo (estado e municípios) e do Poder Judiciário, bem como articulação dos serviços no âmbito da federação com políticas intersetoriais preventivas. É preciso que a coligação tenha propostas concretas para a segurança pública e para um sistema prisional mais eficiente, que puna efetivamente os crimes mais graves e esteja comprometido com a dignidade humana, de tal forma que não sejam os setores conservadores de diferentes extrações a comandar sua atuação neste terreno.

Ads Inside Post