terça-feira, 20 de outubro de 2015

Indígenas mostram força nos Jogos Escolares de Pernambuco


Quando elas entram em quadra, chamam atenção. A forma como tocam na bola, trocam passes e finalizam, impressiona. É uma força fora do normal. Uma garra única. Uma vontade de vencer que extravasa. O time de futsal feminino da Escola Pankararus, de Jatobá, no Sertão do Estado, tem se destacado. Na estreia na fase final dos Jogos Escolares de Pernambuco (JEPs), que está sendo disputada na cidade de Arcoverde, no Interior pernambucano, elas venceram e convenceram. A primeira vítima foi a Escola Nestor Gomes, de Jaboatão dos Guararapes. Após o apito final do árbitro, uma comemoração típica dos índios: a dança do toré, o ritual indígena para celebração que encantou o público presente ao ginásio.

De acordo com a coordenadora da escola, Maria José, a prática esportiva tem contribuído muito com uma melhora significativa no desempenho das meninas fora da aldeia. "Elas eram muito tímidas, a convivência fora da aldeia foi algo importante", afirmou. O choque cultural para os integrantes da tribo Pankararu ainda é um desafio, mas hoje, as garotas já estão mais preparadas e desenvoltas para lidar com as diferenças.

Os Pankararaus têm se destacado não apenas no futsal dos JEPs. A força do colégio nos esportes é tão grande que eles já mandaram três alunos do atletismo para os Jogos Escolares da Juventude, construíram tradição no futebol de campo, handebol e agora começam a se firmar no futsal. "A população do povoado é de 9 mil pessoas. Temos uma quadra para 12 escolas. Ser destaque no esporte é motivo de muita alegria para nós", concluiu a coordenadora.




Com informações da assessoria.












Ads Inside Post