sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Lajedo participa do Zoneamento de áreas desertificadas no Estado de Pernambuco


Nesta quarta e quinta-feira (03), Lajedo está participando dos Diálogos Municipais proporcionados pela SEMAS (Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado) para a realização do zoneamento das áreas vulneráveis à desertificação em Pernambuco. As oficinas aconteceram no Centro de Treinamento durante esses dois dias e teve a participação de integrantes da Secretaria de Agricultura.

A SEMAS contratou a empresa Iedes para prestar consultoria a 122 municípios do semiárido (Caatinga e Agreste) onde serão realizados 61 encontros para fazer essas oficinas. Lajedo e Calçado foram integrados a participarem dessa oficina, porém, apenas Lajedo participou.

Tais oficinas permitem que os próprios integrantes dos municípios façam o zoneamento de áreas suscetíveis à desertificação através de uma planilha com a cobertura vegetal, uso das terras, classes de solos e o chamado mapa artesanal.

A planilha já aplicada, dá informações sobre as áreas desertificadas quanto à degradação do solo, cobertura vegetal, recursos hídricos sendo desenhados no mapa artesanal feito com o auxílio da consultora Marilourdes Guedes. "Quando juntar a planilha, o mapa artesanal e a imagem de satélite da Embrapa podemos fazer o zoneamento", explicou a consultora.

O objetivo desse zoneamento é ter um planejamento para minimizar as áreas desertificadas, beneficiando a população em geral. Assim, pode-se dar um panorama total do Estado, mediante os resultados subsidiados nas cores vermelha (desertificação severa), laranja (acentuada), amarela (moderada) e verde (sem desertificação).
Como passo seguinte, após a conclusão e obtidos os mapas e planilhas, serão feitos 14 workshops regionais para sistematizar as informações das oficinas e apresentar aos participantes o feedback.


Durante todo esse trabalho iniciado em dezembro de 2014 com estimativa para dezembro de 2015, três organizações são envolvidas: a Secretaria de Meio Ambiente de Pernambuco é responsável pelo projeto social local, a Embrapa pelos mapas via satélite e a Sudene entra com o recurso.










Com informações da assessoria.



























Ads Inside Post