quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Ponto de Vista – Impeachment

Nos meus 33 anos na política, dos quais 20 consecutivos com mandato de vereador em Salgueiro, presenciei muitas crises políticas e econômicas. Essa que estamos vivendo no momento não foi a primeira e nem será a última.
Só vislumbramos uma saída: respeito ao voto do povo e às instituições. Não podemos desconsiderar por qualquer razão, a vontade dos eleitores expressada nas urnas. Na última eleição presidencial a presidenta Dilma se elegeu com praticamente 52% dos votos válidos do Brasil. Não se pode da mesma forma desprezar os 48% do candidato Aécio Neves.
O que ocorre no Brasil, infelizmente acontece também nos Estados e Municípios: boa parte dos gestores, muitos como candidatos à reeleição, comprometem, irresponsavelmente, as finanças públicas em proveito pessoal e dos seus grupos, para garantirem sua continuidade no poder.
O eleitor, no entanto, em sua maioria, não acompanha o mandato dos eleitos, deixando-os à vontade, concorrendo para mais e mais escândalos, como estamos vivenciando no momento, infelizmente, no Brasil.
Precisamos, oposição e situação, voltar às ruas, tanto para que os escândalos, as roubalheiras e tantos desmandos sejam evitados, como para garantirmos a continuidade aos que estão trabalhando dignamente, diuturnamente, honestamente, humildemente, para vencer as dificuldades.
Não podemos assistir calados as investidas de tantos políticos e partidos que, por conveniências pessoais e de seus grupos, muitos que até pouco tempo participaram do governo que aí está, venham agora “vestidos de cordeiros”, “com bons propósitos”, querer que acreditemos nessa ultrapassada forma de fazer política sem propostas concretas e decentes.

Respeito o ponto de vista de cada um, mas no momento, acho queimpeachment da presidente Dilma é temerário, diante da ausência de prova que tenha ela cometido atos que levem a tal procedimento.

Lembro que jamais vimos gente graúda ser presa e processada neste país como vem ocorrendo nos últimos tempos. Isso é prova de que precisamos de instituições fortes e não oportunistas de plantão, àqueles que apostam no quanto pior melhor.
Por fim, cadê a voz da juventude?
Gestores das escolas, professores e demais seguimentos da sociedade: abram debates com os candidatos para que tenhamos políticos sérios e comprometidos com a causa do povo!
Vamos trabalhar porque o Brasil é de todos e só com o trabalho vencemos…


Escrito por Alvinho Patriota.














Ads Inside Post