sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

A evolução da câmera dos smartphones

Hoje em dia é difícil imaginar um smartphone sem câmera, não é mesmo? Em muitos casos, ela é o item principal na escolha de um novo aparelho. De resoluções pífias até chegar aos 40 megapixels, as câmeras dos gadgets percorreram um longo caminho. Neste post, confira como elas evoluíram com o tempo.

História

Na virada do milênio, a ideia de ter um celular capaz de tirar fotos não agradava muito as pessoas. Assim como toda a tecnologia inovadora, o seu uso era visto como inútil, já que as câmeras digitais portáteis começavam a fazer grande sucesso.
Isso foi começando a mudar por volta de 2002, quando algumas das maiores fabricantes de celulares do mundo resolveram apostar de vez na tecnologia. Você provavelmente não deve se lembrar, mas a câmera para celular inicialmente começou a ser vendida como um acessório extra, algumas bem avançadas para época, até mesmo com flash.
A Motorola, a Siemens e a Sony Ericsson eram algumas das marcas que tinham modelos compatíveis com câmeras acopladas. A resolução não era a das melhores, 640x480 pixels, mas não esqueça que estamos falando de 2002.

Os primeiros

Tendo em vista o aumento da procura de celulares que fossem compatíveis com câmeras, outras empresas desenvolveram uma tecnologia capaz de embutir a lente e o sensor na construção do aparelho, sem a necessidade de um equipamento adicional.
A primeira empresa a construir um celular com câmera embutida foi a Samsung. O modelo SCH-V200 foi comercializado apenas na Coreia do Sul e tinha ‘incríveis’ 0,35 megapixels e uma tela de 1,5 polegadas. Ele era capaz de armazenar até 20 fotos e para visualizar as imagens era preciso conectá-lo em um computador.
Outra empresa pioneira no desenvolvimento de celulares com câmeras foi a Sharp. O modelo J-SH04, comercializado no Japão pela J-Phone, apesar de ter menos resolução do que o SCH-V200 (apenas 0,11 megapixels) tinha uma vantagem: não era necessário conectar o aparelho em um computador para visualizar as fotos.
Mas o modelo que fez crescer o interesse do ocidente por celulares com câmeras foi o Sanyo SCP-5300. Vendido nos EUA pela Sprint, ele tinha a capacidade de tirar fotos em 0,3 megapixels e adicionava uma série de recursos, como controle de branco, temporizador, zoom digital e até mesmo filtros como sépia, preto e branco, e negativo – ou você pensava que o Instagram que tinha inventado?

Evolução

Conforme os anos se passaram, o interesse pelas câmeras em celulares foi aumentando e a tecnologia foi evoluindo. Em 2004, a Sprint lançou o Audiovox PM8920, aparelho que inseriu uma série de novidades que foram copiadas por outras fabricantes. A começar pela resolução de 1,3 megapixels, que permitia que a impressão em papel da foto ficasse razoavelmente satisfatória. Ele também vinha com um botão dedicado para acionamento rápido da câmera e capacidade para tirar até oito fotos em sequência automática.
A Nokia também percebeu a importância das câmeras nos celulares e investiu pesado em aparelhos com a tecnologia. A empresa finlandesa foi responsável por um salto de qualidade nas imagens tiradas pelos celulares, introduzindo uma maior resolução e novidades como autofoco e flash. O N90 pode ser considerado o primeiro aparelho construído exclusivamente para fotos e vídeos. Além da possibilidade de girá-lo por completo, ele tinha 2 megapixels de resolução, lente Carl Zeiss e flash de LED.
A Sony, que hoje em dia patina para se manter no mercado de smartphones, fez bastante sucesso em meados de 2006 com sua linha de aparelhos dedicados para fotos. A empresa levou o seu conhecimento em câmeras digitais para os celulares e adicionou recursos interessantes em seus aparelhos. O modelo K800i tinha 3.2 megapixels, estabilização de imagem e um potente flash de xênon.

Corrida em busca de qualidade

A partir de 2007, foi dada a largada para a corrida em busca de fotos e vídeos com melhores qualidades. Os primeiros aparelhos com 5 megapixels começavam a aparecer, como o Nokia N95, que a época foi considerado com um dos melhores gadgets para tirar fotos e fazer vídeos e fez bastante sucesso, inclusive no Brasil.
O iPhone, que também foi lançado em 2007, curiosamente não agregou grandes inovações em relação as imagens capturadas pelos smartphones. O primeiro modelo tinha apenas 2 megapixels, não gravava vídeos e não tinha flash. No entanto, a grande contribuição do iPhone para as câmeras foi a construção de um aparelho mais fino e menos robusto, o que, posteriormente, se tornou padrão na indústria.
A partir de 2008, vários aparelhos com resoluções cada vez maiores começaram a surgir. Com 8 megapixels, o Samsung i8510, o Nokia N86 e o LG Renoir. Com 12 megapixels, o Samsung M8910 Pixon12 e o Nokia N8. E com 16 megapixels, o Sony Ericsson S006.
Os softwares também evoluíram. Com o poder de processamento cada vez maior dos aparelhos, várias fabricantes foram adicionando mais recursos, como fotos panorâmicas, vídeos em slow motion, novos filtros e edição.

Atualmente

Hoje, as câmeras dos smartphones evoluíram de uma forma que até o mais entusiasta dos usuários não conseguiria imaginar. Aparelhos mais modernos podem até mesmo gravar em vídeos em 4K, como o Samsung Galaxy S5, e possuem foco a laser, como o LG G3.
As resoluções também aumentaram consideravelmente, com aparelhos com 20 megapixels, como o Sony Z3, custando por volta de R$ 2 mil. Mas o campeão em resolução, e considerado por muitos como o melhor smartphone para fotos, é o Nokia Lumia 1020, com os seus assustadores 41 megapixels.

Dicas rápidas para tirar boas fotos com o smartphone

Iluminação: fique atento para a luz ambiente. Tirar foto em lugares com pouca luz natural pode ocasionar imagens granuladas e com pouca nitidez.
Flash: a luz do flash pode fazer com que a imagem perca um pouco de naturalidade e muitas vezes “estourar” a foto (quando ela fica com excesso de branco). Por isso, sempre dê preferência à luz natural.
Zoom: evite utilizar o zoom digital dos smartphones. Se possível, aproxime-se para capturar boas imagens.
Foco: tenha em mente o que você quer dar destaque na foto. Escolha um lugar e clique duas vezes para ajustar o foco.
Aplicativos: se você quer explorar ao máximo a câmera do smartphone, alguns aplicativos podem te ajudar. Para ajustes automáticos, você pode optar pelo Retrica ou Instagram. Agora para ajustes profissionais, tente usar o Câmera FV-5.

Psafe Blog 


Em operação especial, Polícia Civil de PE prende 160 suspeitos em dois dias

A Polícia Civil de Pernambuco prendeu 160 pessoas nos dois primeiros dias úteis desta semana (23 e 24). Elas são suspeitas de homicídios, sequestros, tráfico de drogas e roubos. As prisões foram realizadas durante a Operação Esforço Geral II, que contou com a participação de 779 profissionais, entre delegados, escrivães e agentes. Esta já é considerada a maior operação policial do estado.
Os detalhes da ofensiva foram divulgados em coletiva de imprensa na sede operacional da Polícia Civil, localizada na Rua da Aurora, na área central do Recife, na manhã desta quinta (26). O chefe de polícia, Antônio Barros, esteve presente na coletiva, assim como os diretores de polícia das quatro regiões do estado -- litoral, Zona da Mata, Agreste e Sertão -- e alguns dos delegados que participaram da operação. Segundo Barros, com os 160 presos ainda foram apreendidos 23 armas de fogo e 21 quilos de entorpecentes.
A maior parte das armas (14) estava enterrada em um sítio da Zona Rural de Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata Sul do estado. Era um arsenal, com revólveres, pistolas, espingardas e um rifle de uso exclusivo das forças armadas. Na propriedade, ainda foram encontradas várias munições e um revólver calibre 38 escondido dentro de uma chaleira. Tudo era cuidado por uma família de agricultores que foi presa em flagrante por porte ilegal de arma. “O que chama atenção é que as armas estavam em excelente estado de conservação. Todas lubrificadas e para pronto emprego”, pontua o delegado da cidade, Edmilson Batista, que está investigando como o arsenal era utilizado.
No Agreste, o destaque da operação foi a prisão de um homem procurado por 13 mandados de prisão. Além de Pernambuco, ele é acusado de crimes em São Paulo e na Bahia. Natural de São Paulo, o suspeito havia fugido de um presídio na Bahia e estava morando na cidade pernambucana de Toritama. No local, já havia sequestrado uma comerciante e tentado roubar a casa da vice-prefeita. Já no litoral, a polícia ressaltou a prisão de um presidiário que estava em liberdade vigiada, mas teria quebrado a tornozeleira eletrônica  para voltar a praticar crimes na cidade de Paulista.
De acordo com a polícia, a Esforço Geral II foi lançada para cumprir o maior número possível de mandados de prisão por crimes violentos letais intencionais, crimes contra o patrimônio, tráfico de drogas e armas. Por isso, a maior parte das prisões (89) é resultado do cumprimento de mandados expedidos anteriormente. Ainda segundo a corporação, dos 89 mandados cumpridos, 59 dizem respeito a crimes de violência contra a vida.
Além dos 89 presos através de mandados, foram autuados 37 suspeitos em flagrante e apreendidos 34 adolescentes, sendo um em flagrante de ato infracional e 33 através de mandados de busca e apreensão. Foram realizadas prisões em cidades como Toritama, Paulista, Vitória de Santo Antão e Salgueiro.
Na primeira etapa da operação Esforço Geral, realizada em 27 e 28 de janeiro, 113 prisões já haviam sido realizadas. Daquela vez, os esforços também se concentraram na repressão e no combate dos crimes de homicídio, tráfico e roubo, através do cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão em todo o estado.

G1

Veja lista com os melhores concorrentes do WhatsApp no Brasil

WhatsApp é líder de mercado no Brasil quando nos referimos aos mensageiros. O número de seus usuários cresceu ainda mais depois da plataforma ter sido adquirida pelo gigante Facebook, em fevereiro de 2014. Apesar da promessa  feita de não ocorrer nenhuma mudança para os clientes, o app passou amostrar quando o usuário lê a mensagem. O recurso não agradou a todos, e outros mensageiros ganharam mais espaço. Veja quais são os melhores concorrentes do WhatsApp no Brasil: 
Embora o WhatsApp tenha anunciado que vai permitir chamada gratuita por voz, o recurso não será novidade entre os mensageiros. O Viber já deixa seus usuários fazerem ligação de graça, via Wi-Fi ou 3G, desde que chegou ao mercado. A ferramenta é uma das armas que o colocam na condição de principal adversário do produto da empresa de Mark Zuckerberg. O Viber pode ser instalado no AndroidiOS,Windows PhoneBlackBerrySymbianWindowsMac e Linux, gratuitamente.
Viber permite chamadas de vóz desde que chegou ao mercado (Foto: Divulgação/Viber)Viber permite chamadas de vóz desde que chegou ao mercado (Foto: Divulgação/Viber)
O número de usuários é  um ponto a favor do Viber, que chegou a ganhar um milhão e meio de usuários, em apenas uma semana, quando liberou chamadas gratuitas a telefones fixos de todo o Brasil, respondendo ao anúncio do WhatsApp.  Em suma, ele se destaca pelas chamadas custo zero, mensagens de voz, chats coletivos de celebridades ou marcas e criação grupos de conversa. Além disso, permite o envio de diferentes arquivos de mídia.
Disponível, sem pagar nada, para Android, iOS, Windows Phone, Web, Windows, Mac, Google Chrome e Linux, o Telegram funciona como mensageiro instantâneo, possibilitando conversas com os seus contatos através de mensagens de textos e emoticons. Também libera conversas em grupo e o envio de fotos e vídeos.
Telegram é um dos rivais do WhatsApp que mais cresce em número de usuários (Foto: TechTudo/Anna Kellen Bull)Telegram é um dos rivais do WhatsApp que mais cresce em número de usuários (Foto: TechTudo/Anna Kellen Bull)
O trunfo do mensageiro, entretanto, é o recurso de autodestruição de conversas e sessões de bate-papo criptografados: que agrada bastante os usuários, por focar na privacidade. Se precisar forçar o encerramento do aplicativo, não se preocupe, pois a mensagem enviada chegará da mesma forma dado o uso de envio de mensagens em segundo plano. Na altura em que o Facebook comprou o seu rival, o Telegram chegou a registrar cinco milhões de downloads em um dia.
A brincadeira dos brasileiros que transformava o nome do WhatsApp em “ zap zap” se tornou séria, dando vida ao aplicativo ZapZap. Talvez por conta da sua divertida origem, o aplicativo caiu na graça do público e adquiriu um número de usuários suficiente para o colocar entre os concorrentes do mensageiro líder.  Mas, infelizmente, a aplicação só pode ser baixada em smartphones com Android, ou usado em navegadores.
ZapZap é o mensageiro com cara brasileira e recursos semelhantes aos do WhatsApp (Foto: Techtudo/Taisy Pecsen)ZapZap é o mensageiro com cara brasileira e recursos semelhantes aos do WhatsApp (Foto: Techtudo/Taisy Pecsen)
A ideia de dar uma cara brasileira ao mensageiro WhatsApp foi abraçada pelos usuários e continua tendo mais adeptos pela maior velocidade geral do aplicativo e de resposta do servidor.  Recursos como conversas criptografadas, compartilhamento de qualquer tipo de arquivo, bem como a sua versão totalmente funcional, que roda em navegadores com Google+ Chrome ou Mozilla Firefox, e ainda permite iniciar nova conta diretamente do browser.
Essa é a oposta do Google para rivalizar com o WhatsApp, do Facebook. O Hangouts, conhecimento por integrar o bate-papo do Gmail, é um mensageiro que disponibiliza conversas por texto, áudio ou vídeo, além do compartilhamento de imagens e emoticons. Disponível para Android, iOS, Google Chrome e Outlook, utiliza a ferramenta de videoconferência do Google+ como carta na manga para atrair mais usuários. Os hangouts de vídeo em grupo suportam até dez pessoas.
Hangouts é a aposta do Google que promete desbancar o WhatsApp (Foto: Divulgação/Google)Hangouts é a aposta do Google que promete desbancar o WhatsApp (Foto: Divulgação/Google)
Quem usa a sua nova versão para iOS pode efetuar chamada de vídeo de até 10 segundos, assim como compartilhar a sua localização atual. O app Hangouts tem sincronização com as suas contas  no Google e é possível conversar em grupo.
O aplicativo WeChat é um dos mais conhecidos do gênero, pois vem pré-instalado em alguns sistemas operacionais de celulares. Uma ótima vantagem do mensageiro deve-se ao recurso de tradução de mensagens, no iPhone. Ele é gratuito e pode ser instalado em dispositivos Android, iOS, Windows Phone, Mac, Blackberry e Symbian.
WeChat permite tradução de mensagens no iPhone (Foto: TechTudo/Luciana Maline)WeChat permite tradução de mensagens no iPhone (Foto: TechTudo/Luciana Maline)
Traz as básicas funcões para troca de mensagens de texto, voz, envio de fotos e vídeo. Porém, o serviço de chamadas por vídeo em HD, entre duas pessoas ou em grupo, são as fortes características do aplicativo, que também funciona como uma rede social e está integrado ao Facebook. O WeChat também tem funções de privacidade, como armazenamento secreto de mensagens em local seguro e leitura em modo off-line – aceitando ler os recados dos seus amigos mesmo se não estiver conectado à internet. 
O Line chega a ser uma das melhores alternativas ao WhatsApp pelo fato de ter um número de usuários significativo. Tal como o WeChat, vem entre os aplicativos previamente acoplados a plataforma de alguns celulares.
Line é um dos rivais do WhatsApp mais usado pelos internautas (Foto: Divulgação/Line)Line é um dos rivais do WhatsApp mais usado pelos internautas (Foto: Divulgação/Line)
A semelhança entre os dois não para por aí, já que também tem um certo toque de rede social. Gratuito e disponível para Android, iOS, Windows Phone, BlackBerry, Firefox OS, Windows e Mac, o mensageiro disponibiliza em todos os sistemas opções para efetuar ligações e enviar mensagens sem pagar nada, desde que tenha conexão 3G. Seu maior diferencial é ter editor de imagens e vários jogos.
Este é o concorrente do WhatsApp com uma característica peculiar: não necessita de estar vinculado a um número de telefone para funcionar. Se o seu número de usuários ainda decepciona, em relação aos seus adversários, os recursos do Kik fazem com que seja cada vez mais usado: tem acesso direto aos vídeos do YouTube, permite desenhar ou escrever com caneta, faz procura de imagem diretamente da Web e permite a criação de memes. Pode ser baixado no Android, iOS, Windows Phone e Blackberry.
Kik é o mensageiro que não precisa de Chip para funcionar (Foto: Divulgação/Kik)Kik é o mensageiro que não precisa de Chip para funcionar (Foto: Divulgação/Kik)
Apesar de um destacar-se do outro por pequenas razões e detalhes, todos estes aplicativos dispõem de recursos prontos para bater de frente com o WhatsApp. Logo, se estiver insatisfeito e quiser substituir o app do Facebook, qualquer um dos mensageiros listados estará em altura de desempenhar o seu papel com maestria. Um ponto contra eles deve ser o menor número de usuários, mas a seu favor está o fato de ganharem uma grande quantidade de utilizadores por causa de novos  recursos adicionados ou mesmo a cada falha do rival WhatsApp.
TechTudo

App do dia: Álcool ou Gasolina, Chefia?

O motorista brasileiro vive um dos momentos mais difíceis da sua história: com o preço da gasolina tão caro em todo o país, o que compensa mais? Álcool ou Gasolina? Consulte rapidamente e saiba o que escolher na hora de abastecer!
Com Álcool ou Gasolina, Chefia?, você sempre sabe qual o melhor custo-benefício. Estima-se que o rendimento de um motor é 30% menor com álcool do que com gasolina. Considerando os preços de cada tipo de combustível, o álcool passa a valer a pena se custar menos de 70% do preço da gasolina. Preguiça de fazer esta conta? O app faz pra você!
Com uma interface extremamente simples, seu único trabalho será o de informar ao aplicativo qual o preço de cada combustível. Digite o valor nos respectivos lugares e descubra com o que seu carro flex irá render mais. Tudo totalmente em português e sem necessidade de conexão com a internet!
Agora ficou fácil saber o que escolher no posto. Com Álcool ou Gasolina, Chefia?, você estará preparado pra qualquer maluquice da economia e sempre saberá o que vale mais a pena comprar. Baixe o aplicativo no seu Androide corra para abastecer!


Psafe Blog 

Seis apps brazucas que vão bombar em 2015

Ainda falta muito, mas, aos poucos, o Brasil está se tornando uma nação tecnológica. Depois de conhecermos as empresas mais promissoras do Brasil e as startups inovadoras do Vale do Silício, listamos os aplicativos nacionais que vão bombar em 2015. Confira.

PSafe

O aplicativo PSafe Total para Android  já está presente em mais de 25 milhões de smartphones na América Latina. Com cada vez mais pessoas tendo acesso a smartphones - apenas no Brasil já são 38 milhões – hackers mal intencionados estão migrando de outras plataformas, como o Windows, para se dedicarem a atacar os gadgets. Por isso, será cada vez mais importante proteger o dispositivo contra arquivos maliciosos. O PSafe Total tem se destacado como uma boa opção de antivírus conquistando selos de excelência internacional como o AV-TEST e OPSWAT. Além de lidar com malwares, o PSafe Total possui sistema de rastreamento antifurto e a função cofre, que permite bloquear aplicativos com uma senha, garantindo mais privacidade aos usuários.

Dogsapp

Encontrar o par ideal para o cachorro quase sempre não é uma tarefa fácil. O aplicativo Dogsapp veio para suprir essa necessidade. Considerado um Tinder para o ‘melhor amigo do homem’, o aplicativo tem a promessa de encontrar o “match” perfeito para o bichinho de estimação.

Livox

Criado pelo recifense Carlos Pereira para se comunicar com sua filha com paralisia cerebral, o Livox foi considerado pela ONU como um dos melhores aplicativos de inclusão social do mundo.  O app para tablets foi desenvolvido pensando nas limitações físicas, permitindo que as crianças consigam se comunicar com os pais ou professores, e já é utilizado por mais de 10 mil pessoas ao redor do mundo.

Colab

No Colab você pode trocar informações com outros usuários sobre as dificuldades na sua cidade, como falta de iluminação, buracos ou problemas de trânsito. O aplicativo foi eleito pela News Cities Foundation como o melhor aplicativo urbano do mundo.

Catraca Livre

Passear nem sempre significa gastar uma fortuna. Com o aplicativo do Catraca Livre você pode pesquisar sobre os eventos gratuitos que estão acontecendo na sua região. O app já está disponível para 12 cidades brasileiras.

Dieta e Saúde

Para quem quer perder peso, manter as refeições regradas é o maior desafio. O aplicativo Dieta e Saúde permite que você contabilize todas as refeições que forem consumidas.  É possível calcular o IMC e, de acordo com o resultado, é informado o número de calorias que o usuário deve ingerir para perder peso de fora saudável.

Psafe Blog 

Como escolher o teclado ideal?

O teclado é peça fundamental em qualquer computador. Dos menores aos maiores, existe uma infinidade de modelos para todos os gostos e bolsos. Neste post, você vai descobrir tudo o que é necessário para não se arrepender na hora de adquirir um teclado. Confira.

Membrana

Este tipo de teclado é o mais comum e pode ser encontrado em qualquer loja de informática. Os teclados de membrana, geralmente, custam mais barato, já que o processo de fabricação é simplificado.
Ele é construído por uma membrana de plástico maleável responsável por fazer o contato da tecla com os circuitos eletrônicos e identificar qual está sendo apertada. Os teclados deste tipo são mais indicados para quem utiliza coisas básicas no computador, como navegação na internet ou edição de texto.
Sua principal vantagem está justamente no preço, já que os modelos mais básicos podem ser encontrados por cerca de R$ 20. Eles também são mais silenciosos, o que pode ser considerado importante por quem utiliza o PC em ambientes com outras pessoas.
Já a desvantagem está na durabilidade. Para quem usa os teclados de membrana, principalmente os mais baratinhos, pode perceber que com o tempo as teclas apresentam desgaste. Os teclados de membrana costumam apresentar defeitos para os usuários mais hardcore, que utilizam o PC para jogos.  Neste caso, o principal problema é o afundamento das teclas, o que pode, com o tempo, tornar o teclado inutilizável. Isto ocorre mais facilmente com os de marcas desconhecidas.

Mecânico

Diferentemente dos de membrana, que utilizam uma peça plástica para identificar qual botão está sendo apertado, o teclado do tipo mecânico utiliza uma tecnologia diferente, usando um conjunto de molas individual em cada tecla para registrar qual está ativa.
A principal vantagem está na durabilidade. Teclados do tipo mecânico, geralmente, não apresentam defeito de tecla afundada, graças às molas individuais. Eles também são mais rápidos no tempo de resposta, o que é perfeito para quem costuma jogar games RTS, como Starcraft II e Heros of the Storm; ou MOBA, como LOL e Dota.
Já a desvantagem fica por conta do preço. Os mais simples costumam custar por volta de R$ 300. Outro problema é o ruído. Por ter uma peça mecânica em cada tecla, eles causam mais barulho do que os do tipo membrana. Eles também não são tão fáceis de encontrar.

Laser

Este tipo de teclado ainda não é comum, mas chama a atenção. Eles utilizam uma peça de laser que projeta o teclado na superfície e uma câmera registra qual tecla está sendo apertada. Os teclados a laser podem ser uma opção interessante para quem não gosta de teclados virtuais dos smartphone e tablets. Por se conectar via Bluetooth, eles podem ser usados em qualquer dispositivo. No entanto, a superfície pode influenciar na sua eficiência. Modelos a laser custam em torno de R$ 130.

Portátil


Além dos modelos a laser, outra opção para utilizar um teclado físico em dispositivos móveis é o do tipo portátil. Muitos deles se conectam ao gadget por Bluetooth ou estão embutidos em capas. O modelo da foto se conecta ao aparelho sem necessitar de fios e utiliza peças magnéticas para se encaixar. Quando não estiver em uso, é só desmontá-lo. Bem prático, não? Ele custa US$ 100, cerca de R$ 310 sem os impostos.

Teclado a favor da segurança

Pesquisadores da Georgia Tech estão desenvolvendo um teclado capaz de identificar padrões de digitação que pode ser usado para segurança de dados pessoais, como autenticação em internet banking.
Em um experimento, cerca de 100 pessoas tiveram que digitar a palavra touch em um teclado comum modificado para a pesquisa. Com a ajuda de um software, os pesquisadores conseguiram identificar e computar uma série de padrões.
As diferentes formas com as pessoas digitam podem ser utilizadas como identificação pessoal, como uma espécie de impressão digital.
O teclado ainda não está sendo comercializado, mas de acordo com Zhong Li Wan, professor que faz parte do estudo, a previsão é que em até dois anos o modelo seja vendido.
Ficou curioso para saber o que acontece se uma pessoa perder um dedo por acidente? Os pesquisadores disseram que outra forma de autenticação está sendo estudada.

Olhar Digital 

Ads Inside Post