segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Cobrança de chamadas em aplicativos viola Marco Civil da Internet, diz entidade



A Proteste Associação de Consumidores pediu abertura de inquérito contra empresas de telefonia por eventuais bloqueios nos serviços de chamada de voz em aplicativos como WhatsApp e Viber. A representação foi feita junto à 3ª Câmara de Consumidor e Ordem Econômica da Procuradoria-geral da República (PGR) esta semana. Cinco entidades se uniram à Proteste na representação.

“As empresas não têm direito de interferir nos aplicativos de voz. Não se pode bloquear o acesso a um determinado aplicativo. Essa representação é para que o consumidor não seja prejudicado”, explicou a coordenadora institucional da Proteste, Maria Inês Dolci. Segundo ela, as empresas de telefonia já se movimentam contra aplicativos de chamada de voz que não usam a linha telefônica tradicional, e sim conexão à internet.

Brasil atinge 273 milhões de celulares

As entidades de defesa do consumidor alegam que a prática fere o Marco Civil da Internet ao desrespeitar as garantias de neutralidade e prestação adequada do serviço. “Estamos pedindo providências, estamos levando em conta o Marco Civil, que fala que a habilitação do terminal é mediante o endereço IP [identificação de um dispositivo na rede]. Não se pode restringir acesso ao IP”, analisou Maria Inês.

Além da representação junto à PGR, a Proteste criou uma petição online (http://www.proteste.org.br/nao-calem-whatsapp) contra o bloqueio de aplicativos como WhatsApp, Viber e Messenger, vinculado ao Facebook. Segundo Maria Inês, as assinaturas também serão entregues ao Ministério Público Federal.

Procurado pela Agência Brasil, o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (Sinditelebrasil) não quis comentar o assunto, assim como as operadoras Claro, Vivo e Oi. A Tim não respondeu até o fechamento da matéria.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) explicou que os chamados serviços “Over The Top”, aplicativos que requerem conexão com a internet, não são regulados por ela. “O presidente da Anatel, João Rezende, esteve na Câmara dos Deputados semana passada e, após audiência pública, explicou aos jornalistas que, numa análise preliminar, os serviços 'Over The Top' não são reguláveis pela agência porque não são, nos termos da lei, serviços de telecomunicações, mas serviços de valor adicionado”, informou, por meio de nota.

Audiência Pública 

Na última quarta-feira (26), a Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados aprovou a realização de três audiências públicas para debater a regulamentação e taxação de serviços como WhatsApp, Netflix e GlobosatPlay. Ministério das Comunicações, representantes das empresas de telefonia e entidades de defesa do consumidor serão convidados a contribuir com o debate.

O requerimento foi apresentado pela deputada Eliziane Gama (PPS-MA) após o ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, ter dito em audiência na Câmara que é preciso regular algumas atividades que “atuam à margem da lei, por exemplo, aplicativos que fornecem chamadas de voz sem serem operadoras”.

“É preciso encontrar uma maneira – que não é fácil, porque são serviços que se apoiam na rede mundial de computadores – para regular algumas atividades que atuam à margem da lei, por exemplo, aplicativos que fornecem chamadas de voz sem serem operadoras”, disse o ministro durante audiência pública no dia 19 de agosto.

Para Eliziane, a avaliação de Berzoini é preocupante, pois pode significar a taxação de um serviço pelo qual o consumidor já paga, por meio do pacote de internet contratado com a operadora. “A gente paga por isso, não se transmite mensagem de graça. E isso se aplica pra tudo, não só WhatsApp. A telefonia é muito cara e metade do que se paga é imposto”, disse a deputada à Agência Brasil.




Do Diário de Pernambuco.








Jovem que nasceu sem braços é exemplo de superação em Garanhuns

Durante a Semana da Pessoa com Deficiência, Tatiana se apresenta como um exemplo motivacional para muitos


A emocionante e singular história de vida de Tatiana Lourenço, de 32 anos de idade, é um exemplo de força de vontade e determinação. A jovem, que já nasceu sem os dois braços, realiza, com os pés, todas as atividades domésticas que, habitualmente, são realizadas com os membros superiores, como lavar louças, pentear os cabelos, decorar unhas e até mesmo fazer crochê. Na Semana da Pessoa com Deficiência, que vem sendo vivenciada em todo o Brasil, Tatiana passa a ser exemplo de superação.

Desde pequena ela usava seus pés como se fossem suas mãos. Sua agilidade e flexibilidade impressionam a todos que com ela convivem. “Quando eu estudava, muitas pessoas me olhavam de forma estranha, mas isso nunca foi motivo para que eu desanimasse na vida, sempre encarei com naturalidade, e nunca desisti dos meus objetivos”, declara Tatiana.

Tatiana já foi beneficiada com uma casa, através do programa federal ‘Minha Casa, Minha Vida’, e também já conta com os benefícios do Passe Livre - programa federal que visa proporcionar às pessoas com deficiência, e carentes, a terem gratuidade nas passagens para viajar entre os estados brasileiros. Serviços nos quais são executados, em Garanhuns, por meio da Secretaria de Assistência Social. “Sou muito grata a tudo que fizeram e fazem por mim. Quando estou passando por alguma dificuldade é lá que me ajudam”, afirma, emocionada.

Casamento – Tatiana, além de seguir sua vida de forma normal, também encontrou um companheiro. Ela irá se casar no próximo dia 11 de setembro.



Com informações da assessoria.







NY Times faz duro editorial contra o golpe no Brasil


Acredite se quiser.
O New York Times acaba de publicar um duro editorial contra o impeachment da presidenta Dilma!
Em outras palavras, um editorial contra o golpe.
O editorial repete os argumentos da blogosfera e do campo progressista e popular, de que um golpe causaria sérios danos à democracia no país, levando a um período de instabilidade por tempo indeterminado.
Não que eu dê bola ao que pensa o New York Times. Ao contrário, tenho consciência das armadilhas enormes por trás desses elogios da imprensa americana.
Mas o pensamento conservador brasileiro tem profundo respeito pelo que pensa o maior jornal dos Estados Unidos, não?
Tradução de um trecho:
"Ela [Dilma] não fez - o que é admirável - nenhum esforço para constranger ou influenciar as investigações. Ao contrário, ela tem consistentemente enfatizado que ninguém está acima da lei, e apoiou a renovação da gestão do atual procurador-geral da república, encarregado das investigações sobre a Petrobrás, Rodrigo Janot.
Até o momento, as investigações não encontraram nenhuma evidência de ações ilegais de sua parte. E enquanto ela é, sem dúvida, responsável por políticas e erros que produziram problemas econômicos, não há nada que justifique o impeachment. Derrubar Dilma sem evidências concretas de corrupção causaria sérios danos à democracia que vem ganhando força nos últimos 30 anos, sem nenhuma contrapartida. E não há nada que sugira que algum dos líderes políticos que querem lhe tomar o lugar faria melhor do que ela em termos de política econômica".
*
Agora está explicado porque a Globo e a grande mídia em geral recuaram do apoio ao golpe.
O Tio Sam mandou parar com a palhaçada.
Os EUA tem dezenas de bilhões de dólares investidos no Brasil.
Sabem que uma aventura golpista iria lhes fazer perder dinheiro.
Falta só avisar aos coxinhas psicóticos que desfilaram nas ruas com faixas em inglês.
A última frase do editorial, que fala sobre a falta de competência e moral na oposição, é um recado duro e sarcástico contra FHC e o PSDB, que se tornaram ainda mais histéricos e desequilibrados após as malogradas manifestações do último domingo.
O governo que mais combateu e combate a corrupção em toda a nossa história, é o de Dilma Rousseff.
Se as conspirações midiático-judiciais não transformarem essas investigações em surtos alienistas para prender metade do país, paralisar a economia e promover uma seletividade política penal, então Dilma terá um excelente legado para mostrar.
***
Deu no New York Times.
Brazil’s Rising Turbulence
By THE EDITORIAL BOARD
AUG. 17, 2015

Brazil is in tatters. The economy is in a deepening recession: Last Tuesday, Moody’s downgraded Brazil’s credit rating to just about junk. A massive corruption scandal involving the national oil company Petrobras has ensnared scores of politicians and businessmen. The legislature is in revolt. President Dilma Rousseff’s popularity rating, less than a year after her re-election, is down to one digit, and nationwide protests on Sunday reverberated with calls for her impeachment.
In all this turbulence, it is easy to miss the good news: the fortitude of Brazil’s democratic institutions. In pursuing bribery at Petrobras, federal prosecutors from a special anticorruption unit of the Public Ministry have not been deterred by rank or power, dealing a blow to the entrenched culture of immunity among government and business elites. Former Petrobras executives have been arrested; the wealthy chief executive of the construction giant Odebrecht, Marcelo Odebrecht, is under arrest; the admiral who oversaw Brazil’s secret nuclear program has been arrested, and many others face scrutiny, including Ms. Rousseff’s predecessor and mentor, Luiz Inácio Lula da Silva.
Though the investigations have created huge political problems for Ms. Rousseff and have raised questions about her seven-year tenure as the chairwoman of Petrobras, before she became president, she has admirably made no effort to constrain or influence the investigations. On the contrary, she has consistently emphasized that no one is above the law, and has supported a new term for the prosecutor general in charge of the Petrobras probe, Rodrigo Janot.
So far, the investigations have found no evidence of illegal actions on her part. And while she is no doubt responsible for policies and much of the mismanagement that have laid Brazil’s economy low, these are not impeachable offenses. Forcing Ms. Rousseff out of office without any concrete evidence of wrongdoing would do serious damage to a democracy that has been gaining strength for 30 years without any balancing benefit. And there is nothing to suggest that any leaders in the wings would do a better job with the economy.
There is no question that Brazilians are facing tough and frustrating times, and things are likely to get worse before they get better. Ms. Rousseff is also in for a lot more trouble and criticism. But the solution must not be to undermine the democratic institutions that are ultimately the guarantors of stability, credibility and honest government.

Do portal do Sindsep.




Secretários de Justiça de todo o Brasil discutem no Recife ações para o sistema prisional


Secretários de Justiça e Administração Penitenciária de todo o Brasil se reúnem nesta sexta-feira, 28, no Recife, para trocar experiências e debater ações voltadas para o sistema prisional. O encontro do Conselho Nacional de Secretários de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Administração Penitenciária, o Conseje, o primeiro que acontece fora de Brasília, será realizado na Secretaria de Planejamento do Estado, na Rua da Aurora, durante o dia inteiro, com inicio às 09h.

​ 
A  liberação de recursos do fundo penitenciário nacional para financiamento de construção de novas unidades, aquisição de materiais de segurança e viaturas para transporte de reeducandos e a implantação de audiência de custódia em todos os Estados do Brasil, com os resultados  já alcançados, serão  assuntos em pauta durante a manhã.

No período da tarde entre os temas que serão discutidos estão o uso das  tornozeleiras  e análise de medidas de desencarceramento já realizadas nos Estados, a gestão prisional e definição de pauta conjunta para próxima reunião com o Departamento Penitenciário Nacional. “ O sistema prisional enfrenta dificuldades em todo o país. O encontro será mais um momento para definição de uma pauta conjunta de todos os Estados da Federação para definirmos prioridades e demandas coletivas junto ao Governo Federal”, antecipou o secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco, Pedro Eurico.

​ 
O encontro será aberto pelo vice-governador Raul Henry e também terá a participação do presidente do Conseje, o secretário de São Paulo, Lourivall Gomes.



Com informações da assessoria.






4ª edição do edital Monitoria em divulgação científica nos Centros e Museus de Ciência de Pernambuco


A Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe), em parceria com a Secretaria de Ciência e Tecnologia de Pernambuco (Sectec), convida os Centros e Museus de Ciência de Pernambuco, vinculados à Instituições públicas e privadas sem fins lucrativos, federais, estaduais ou municipais que realizam exposições ou atividades de divulgação das ciências a apresentarem propostas para obtenção de apoio a atividades de monitorias na forma de quotas de bolsas da modalidade Bolsa de Cooperação Técnica (BCT).

As propostas devem ser encaminhadas à Facepe pelo coordenador institucional do projeto, por meio do preenchimento e envio do Formulário de Solicitação de Auxílio à Realização de Cursos e Reuniões Científicas (modalidade ARC), ao sistema da AGilFap (htttp://agil.facepebr) até o dia28/09/2015. Para chegar ao formulário no Sistema AgilFAP, dentro da modalidade “ARC,” o solicitante deverá cadastrar-se e em seguida se logar no sistema quando então poderá selecionar no menu “Bolsas e Auxílios” a modalidade “ARC” e, por fim, a opção “Edital 09/2015 – Monitoria em Divulgação Científica”.

Além do envio do Formulário eletrônico, a submissão da proposta requer também a entrega de Documentação Complementar (impressa), como detalhado no edital, até o dia 02/10/2015.

Facepe e da Sectec visam apoiar atividades de monitoria em divulgação científica que propiciem a instalação e o fortalecimento de espaços científico-culturais, como centros e museus de ciência, planetários, jardins zoobotânicos, parques de ciência e instituições similares, para promover a expansão e a melhoria de suas ações, além de aprimorar a divulgação e a popularização da cultura científico-tecnológica junto à sociedade.

Clique aqui e confira o edital.




Com informações da assessoria.






Comissão do Senado aprova parecer de Cintra a certificados do artesanato

O parecer de Cintra foi aprovado na Comissão de Educação

A instituição de um programa de certificação do artesanato deu mais um passo com a aprovação, hoje (terça, 25), na Comissão de Educação, de parecer do senador Douglas Cintra (PTB-PE) favorável à iniciativa. O projeto de lei do Senado (PLS) 256/2015 estabelece a concessão de certificados para atestar a autenticidade e a qualidade técnica, formal e estética do produto, sua representatividade na cultura regional e a adequação ambiental e social do seu processo de produção.

“Como cidadão de Caruaru,  um dos polos mais criativos do artesanato brasileiro, vejo com muita honra e alegria o projeto ser aprovado nesta comissão”, comemorou Cintra, após a votação do seu relatório. No parecer ao PLS 256/2015, o senador pernambucano  destacou que “a certificação de origem e qualidade do produto artesanal contribui para sua valorização cultural e destaque no mercado”. Segundo ele, com a emissão do certificado, “o artesão é estimulado a melhorar a qualidade do seu produto e, com isso, terá condições de obter preço melhor e o reconhecimento do mercado”.

O PLS 256/2015, de autoria da senadora Maria do Carmo Alves (DEM-SE), vai agora à votação da Comissão de Assuntos Sociais, em caráter terminativo – ou seja, se aprovado segue direto à apreciação da Câmara dos Deputados. O projeto  cria o programa de certificação do artesanato com os objetivos de “valorizar o artesanato brasileiro, ampliando sua presença no mercado nacional e internacional; assegurar maior reconhecimento, renda e qualidade de vida aos artesãos; estimular a competência técnica e empresarial dos artesãos e de suas unidades produtivas”.

O senador Douglas Cintra integra a Frente Parlamentar Mista em Defesa do Artesão, que reúne 207 parlamentares com a principal missão de agilizar a aprovação do projeto de lei que regulamenta a profissão de artesão – o PL 7755/2010 -, originário do Senado, em tramitação na Câmara e que voltará à aprovação final do Senado. Estimativas do Sebrae indicam haver cerca de 10 milhões de brasileiros em atividade no artesanato.



Com informações da assessoria.







Plano de saúde é o quinto maior financiador da base de Eduardo Cunha


Um cruzamento de dados feito pelo projeto Faces de Cunha, do site Brasil de Fato, mostra que a Bradesco Saúde está entre as cinco empresas que mais financiaram a campanha de 214 deputados que acompanharam Eduardo Cunha, presidente da Câmara Federal, em votações emblemáticas (terceirizações, financiamento de campanha e maioridade penal). Foram mais de R$ 4 milhões distribuídos entre 11 partidos, sendo que metade deste valor foi para o PSDB (R$ 1,2 milhão) e PMDB (R$ 820,9 mil). Este último, partido de Cunha.
Organizações populares que defendem uma reforma política com o fim do financiamento privado de campanha alertam: “Quem paga a banda, escolhe a música”. “Vemos que o dinheiro usado nas campanhas tem origem, na sua maior parte, de empresas privadas, que financiam os candidatos para depois obter vantagens nas decisões políticas, ou seja, é uma forma clara e direta de chantagem”, diz o texto da campanha com mais de 500 organizações populares, que pede uma constituinte do sistema político.

À campanha de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a Bradesco Saúde doou R$ 250 mil. A empresa apresenta-se como líder do mercado, com 4,5 milhões de clientes. O presidente da Câmara tem colocado em pauta uma série de medidas que, para organizações de saúde e especialistas, como a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), enfraquecem o Sistema Único de Saúde (SUS) e dão mais força aos planos de saúde privados.
Entre as iniciativas que privilegiam planos de saúde, está a Medida Provisória (MP) 627, da qual Cunha foi relator. O texto tratava de alterações na tributação dos lucros obtidos por multinacionais brasileiras. O deputado inseriu na MP um artigo que estabelecia redução do valor das multas que planos de saúde deveriam pagar.
Segundo o Ministério da Saúde, as operadoras privadas que descumprem obrigações contratuais e legais receberiam um perdão de cerca de R$ 2 bilhões, caso a emenda fosse aprovada. O artigo foi vetado pela presidenta Dilma Rouseff.
A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos planos de saúde, proposta pelo deputado Ivan Valente (PSOL-SP) no início da atual legislatura, por exemplo, foi vetada pelo presidente da Câmara. Valente obteve as assinaturas necessárias, mas a instalação da comissão foi barrada por Cunha, que alegou “falta de foco”.
“A decisão de Cunha em barrar a instauração da CPI dos Planos de Saúde é uma meramente política, uma vez que todos os requisitos para justificar uma investigação foram cumpridos”, disse Valente sobre o veto. Segundo o deputado paulista, além de investigar as operadoras e debater a situação da saúde, a CPI deveria discutir “a influência dos planos de saúde na política”.
O presidente da Câmara também votou a favor da MP 656, que permitiu a entrada de capital estrangeiro na assistência à saúde. A MP foi aprovada em sua totalidade, sendo convertida na Lei nº 13.097.
A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 451, que insere planos de saúde como direitos dos trabalhadores, obrigando empregadoras a garantir o benefício, também é de autoria do deputado.Em manifesto contra de proposta, organizações que defendem o direito à saúde, como o Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes) e a Abrasco, apontam que, além de aumentar o lucro das empresas de saúde privada, a medida irá, a longo prazo, transformar o SUS em um sistema precário, utilizado apenas para os pobres e desempregados.
“Se tal medida prevalecer, haverá um SUS definitivamente de baixa qualidade para os que não podem pagar pela saúde – os pobres, desempregados, aposentados, viúvas, órfãos – convivendo com o resto da população empregada com acesso a planos privados caros, de categorias diferenciadas conforme for o porte do seu empregador, cuja garantia de qualidade é uma incógnita frente à frágil regulação do setor. Garantia de desigualdade de atendimento permitido pela própria Constituição, ferindo o princípio da isonomia e o da igualdade no SUS”, aponta o manifesto.
Orçamento impositivo
A gestão de Cunha também aprovou a Emenda Constitucional (EC) 86/15, conhecida como emenda do orçamento impositivo. O texto obriga o Executivo a cumprir as emendas parlamentares ao Orçamento até o limite de 1,2% da receita corrente líquida realizada no ano anterior. Em 2015, isso representa quase R$ 10 bilhões em emendas. Metade do valor deverá ser aplicada na saúde, o que inclui o custeio do Sistema Único de Saúde (SUS).
Na avaliação da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), além de continuar o subfinanciamento do SUS, a emenda dá poder ao legislativo de “apresentar as formas e os destinos de aplicação desses investimentos, reduzindo assim a autonomia do Ministério da Saúde na condução das políticas públicas e na estruturação do SUS”.
Doações cumprem a lei
Procurada pelo Saúde Popular, a assessoria de imprensa da Bradesco Saúde destacou, em nota, que as doações de campanhas da empresa ocorrem a diversos partidos e políticos. “As doações realizadas pela Bradesco Saúde a partidos políticos e seus representantes são feitas rigorosamente dentro da legislação eleitoral em vigor, com total transparência, o que permite que qualquer cidadão possa ter acesso à informação. Essas doações são realizadas de forma a contemplar os diferentes segmentos da sociedade, o que significa diferentes partidos e correntes políticas do país”.
A assessoria de imprensa do deputado Eduardo Cunha também foi procurada, mas não houve retorno até a publicação da reportagem.



Do portal do Sindsep.













Uso de lâmpadas Led deve crescer 30% em 2015

Com os reajustes ocorridos na energia elétrica, a tecnologia ganha mercado por oferecer economia e eficiência além de agradar arquitetos pernambucanos


Mais econômicas e eficientes, as lâmpadas Led (diodos emissores de luz) são a grande aposta do mercado de iluminação em todos os segmentos: industrial, residencial, decorativa, pública e de emergência. Para 2015, a ABILUX - Associação Brasileira da Indústria de Iluminação prevê um crescimento de 30% no consumo desta tecnologia, sobretudo com os reajustes ocorridos na energia elétrica, que de acordo com o IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, em doze meses já acumula alta de 60,42%.

O mercado mundial de iluminação está em fase de grande transição devido a tecnologia dos LEDs, que em conjunto com novos designs de luminárias, começam a revolucionar a aplicação da luz proporcionando eficiência, economia, longa vida das fontes de luz, além de influenciar a qualidade de vida das pessoas. “A substituição das lâmpadas incandescentes pelas lâmpadas LEDs pode proporcionar economia de cerca de 80 a 90% nas residências em qualquer parte do país. Na iluminação pública a redução do consumo pode ser de 50% a 70% conforme o tipo da instalação”, reforça Isac Roizenblattdiretor técnico da ABILUX, que irá ministrar a palestra Novas Tecnologias de Iluminação e os Benefícios Centrados no Ser Humano no Simpolux Nordeste. O evento será realizado no dia 22 de outubro, dentro da 3ª FEICON BATIMAT NORDESTE, no Centro de Convenções de Pernambuco.

No Nordeste, muitos arquitetos já indicam esta tecnologia como solução em projetos de iluminação. “O Led já está em 100% dos meus projetos, e cerca de 85% da iluminação nos projetos realizados já contam com esta tecnologia, pois há uma redução no consumo de energia, além de proporcionar mais conforto porque esquenta menos o ambiente”, revela o arquiteto Eric Dayan, do ND Studio Arquitetura, que assina o projeto da Varanda Gourmet e SPA da Decor Prime Show, mostra de decoração, arquitetura e design que também acontecerá dentro da 3ª FEICON BATIMAT NORDESTE.

Seguindo a mesma tendência, o arquiteto George Casé, da Unacasa Arquitetura, diz não abrir mão da tecnologia em seus projetos, sobretudo pela durabilidade. “O investimento inicial é mais alto, mas compensa pela longevidade das lâmpadas”, afirma o profissional responsável pelo projeto Quarto do Casal com Sala de Banho para a edição 2015 do evento.

Novidades e Lançamentos no mercado de Led

O número de lâmpadas Led vendidas no país saltou de 4 milhões de unidades em 2011 para 25 milhões em 2014, mas ainda representa menos de 5% do total consumido no país. Segundo a ABILUX até 2020, cerca de 70% do faturamento do setor de iluminação será proveniente desses produtos.

As novidades e lançamentos deste setor estarão na 3ª edição da FEICON BATIMAT NORDESTE 2015, de 21 a 23 de outubro, no Centro de Convenções de Pernambuco. Entre as marcas consagradas deste mercado está a Taschibra, empresa brasileira especializada em produtos para iluminação, com produção anual de cerca de 4,5 milhões de luminárias. A marca que tem presença confirmada no maior salão da construção civil do Nordeste, apresentará uma de suas inovações, a Luminária Brilhare LED. A tecnologia economiza até 60% quando comparadas às lâmpadas fluorescentes - e são de longa durabilidade, baixa quantidade de calor irradiado e também melhor índice de reprodução de cor.

Além de conhecer as novidades e lançamentos do setor, os visitantes da 3ª FEICON BATIMAT NORDESTE 2015 poderão participar da Simpolux Nordeste - Simpósio Brasileiro de Iluminação Eficiente. “O objetivo do evento é propiciar conhecimento da técnica, tecnologia e prática da iluminação das mais diversas áreas de aplicação. Teremos palestras de renomados especialistas do mercado e discussões que somarão conhecimentos a todos”, explica Isac Roizenblatt, diretor técnico da ABILUX.

O simpósio tem como público alvo os arquitetos, designers de interiores, decoradores e engenheiros, que já podem fazer a inscrição gratuita através do e-mail abilux@abilux.com.br. Informações pelo telefone (11) 3251-2744.

Feicon Batimat Nordeste 2015 

Realizada pela Reed Exhibitions Alcantara Machado, a Feicon Batimat Nordeste acontecerá de 21 a 23 de outubro, no Centro de Convenções de Olinda, Pavilhão Sul, e trará mais de 150 marcas nacionais e internacionais, além de eventos paralelos como a Decor Prime Show, Seminário de Material de Construção do Nordeste, Seminário de Automação, Conexão Nordeste e o Premium Club Plus ou Clube de Compradores. A área de exposição terá 7 mil m² e a expectativa em 2015 é receber cerca de 9 mil visitantes e compradores qualificados. A entrada para o evento é gratuita para os profissionais do setor e o credenciamento já está disponível no site www.feiconne.com.br.



Com informações da assessoria.









Eficiência energética e reutilização de água será tema de feiras da indústria

Fimmepe, Forind e Movimat, que este ano acontecem juntas, vão mostrar projetos que apresentarão as melhores soluções para economizar água e energia

Eficiência energética e reutilização de água. Este é o tema da 21ª edição da Fimmepe Mecânica Nordeste – Feira da Indústria Mecânica, Metalúrgica e de Material Elétrico de Pernambuco, que acontece de 20 a 23 de outubro, no centro de convenções. No evento, realizado pelo Sindicato das Indústrias Mecânicas, Metalúrgicas e de Material Elétrico de Pernambuco (Simmepe), com organização da Reed Exhibitions Alcantara Machado, haverá o espaço Ilha da Inovação, com projetos que apresentarão as melhores soluções em eficiência energética e reutilização de água. A programação também conta com palestras e seminários sobre o tema.

Esta edição da Fimmepe Mecânica Nordeste acontece junto com a Forind Nordeste – Feira de Fornecedores Industriais, e com a Movimat Nordeste – Feira Internacional de Intralogística. A expectativa é que cerca de 150 expositores participem das três feiras, que acontecem numa área de 13 mil metros quadrados e devem receber mais de 11 mil visitantes. Os setores que estarão presentes são: energias renováveis, máquinas e equipamentos, elétrica e eletrônica, segurança e EPI, e transporte e logística.

“A feira vai ser uma oportunidade de mostrar alternativas para as indústrias. Economizar energia se tornou estratégico para qualquer empreendedor. Pensar em energia é um diferencial competitivo, está relacionado com custos, que podem baixar”, diz Pedro Nunes, da GlobalSun, empresa especializada em energia solar. Segundo ele, esse tipo de energia pode ser utilizada por pequenas, médias e grandes empresas, residências e consultórios. O Nordeste é a região que possui o maior número de dias de sol do Brasil. Por isso, há um mercado em plena expansão e a demanda por produtos de energia solar tende a crescer de forma acelerada.

Para João Bosco, da MultiEmpreendimentos, empresa que trabalha com projetos de eficiência energética, o tema das feiras é dos mais relevantes atualmente. “Em virtude de a energia elétrica ser cara, isso implica diretamente no custo da água. A partir do momento que reutilizamos esta água, temos uma redução do custo da energia e do processo”. Ele cita como exemplo positivo o caso de empresas que usam a água de banhos ou pias para descargas de vasos sanitários, possibilitando uma economia de água e energia e reutilização da mesma.

Uma das novidades da Fimmepe, Forind e Movimat será a presença de um consultor, especialista em eficiência energética, que vai atender as empresas e passar orientações de como economizar água. “As indústrias podem economizar até 85% da água que consomem. Isso é fundamental sob o aspecto econômico”, diz Abrão Rodrigues, da Saneacqua Ambiental, empresa que desenvolve projetos para tratamento de efluentes domésticos e industriais. 

A Forind Nordeste foi criada para aproximar os pequenos, médios e grandes fornecedores de equipamentos, suprimentos e serviços industriais dos grandes grupos empresariais instalados na região Nordeste. Já a Movimat Nordeste é uma plataforma para demonstrações de equipamentos, serviços e soluções em intralogística, voltada para os compradores de grandes indústrias, atacadistas, varejistas e distribuidores que buscam controlar de forma eficiente o fluxo e armazenagem de matérias-primas e produtos acabados, além de estreitar relacionamentos e potencializar seus negócios.

Para o presidente do Simmepe, Alexandre Valença, a união das feiras será muito positiva para o mercado, pois o evento será mais abrangente para a indústria e fortalecerá a economia da região, além de ampliar consideravelmente o evento, com um público maior e mais qualificado. “Esse é um dos diferenciais da edição deste ano. Os visitantes vão encontrar uma exposição maior e com todas as áreas da indústria. As feiras se complementam, então o empresário terá, em um único ambiente, tudo que ele precisa”, completa.

Além da exposição de produtos, a Fimmepe Mecânica Nordeste, a Forind e a Movimat trazem diversas atividades de capacitação e atualização no mercado industrial. Entre elas estão a "Ilha do Conhecimento"- palestras técnicas realizadas por expositores sobre produtos, serviços e melhores práticas -, e a "Ilha da Inovação". Os eventos podem ser acompanhados gratuitamente pelos visitantes.
Outros eventos simultâneos da feira são: Encontro dos Polos Econômicos de Pernambuco (Organizado pela Rede Suape), Seminário Nordestino de Logística (organizado pela Anelog), e o Seminário Loc Show Nordeste, organizado pelo Sindicato dos Locadores de Equipamentos, Máquinas e Ferramentas de Pernambuco (Sindileq). Ao participar da Fimmepe Mecânica Nordeste, da Forind e da Movimat o expositor projeta seus negócios no Nordeste, a região mais promissora do Brasil. Mais informações podem ser obtidas nos sites: www.mecanicanordeste.com.br e www.forindne.com.br.

Serviço –

Fimmepe Mecânica Nordeste – Feira da Indústria Mecânica, Metalúrgica e de Material Elétrico de Pernambuco, Forind Nordeste – Feira de Fornecedores Industriais, e Movimat Nordeste – Feira Internacional de Intralogística.

Data: 20 a 23 de outubro de 2017
Horário: das 16h às 22h
Local: Centro de Convenções de Pernambuco | Olinda | PE
Realização: Simmepe
Organização: Reed Exhibitions Alcantara Machado





Com informações da assessoria.











1º Congresso de Tecnologia para o Varejo – Ideias e Soluções Inovadoras

O sistema Fecomércio em parceria com o SEBRAE estará realizando no próximo dia 02 de setembro, no Centro de Convenções Senac Caruaru a primeira edição do Congresso de Tecnologia para o Varejo – Ideias e Soluções Inovadoras. 

O evento pretende levar aos empresários da região e de todo o Estado informações relevantes para a implantação de inovação voltada às tendências de mercado, tecnologia e pessoas.

As inscrições podem ser feitas através do cartão de crédito ou boleto bancário no site da Fecomércio http://fecomercio-pe.com.br/, lá também é possível encontrar mais informações sobre o evento.




Com informações da assessoria.












Ads Inside Post