quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Itep vai sediar estação russa de monitoramento do Sistema Glonass


A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco e o Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep) promovem, na próxima quinta-feira (18), às 11h, a inauguração da Estação de Monitoramento do Sistema de Navegação por Satélite Russo – Glonass no Estado de Pernambuco, em evento na sede do Itep, na Cidade Universitária. O evento contará com a participação da secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação, Lúcia Melo; do presidente do Itep, Geraldo Eugênio, e do diretor da Corporação Estatal Espacial Russa, Gennady Saenko.

A estação é fruto do Acordo de Cooperação firmado pelo Governo brasileiro e a Federação da Rússia, para pesquisa e utilização do espaço para fins pacíficos e para a proteção mútua de tecnologias no âmbito desta cooperação, assinado no dia 14 de dezembro de 2006. Além do Glonass existem outros Sistemas de Navegação Global por Satélites – GNSS, como, por exemplo, o sistema dos Estados Unidos - GPS, o sistema Europeu - Galileo e o sistema Chinês - Compass.

A instalação, na sede do instituto, no Recife, desta estação de calibração do sistema de navegação por satélite de tecnologia russa será um importante componente para redução do erro de posicionamento do sistema Glonass na América do Sul. O sistema proporciona com eficiência um serviço mundial de navegação em tempo real e serviços de tempo de atualização do posicionamento para um ilimitado número de usuários na terra, no mar, no ar e no espaço, semelhante ao Sistema Posicionamento Global (GPS).

A primeira estação russa no Brasil foi instalada na Universidade de Brasília (UnB), cuja equipe já demonstrou interesse em cooperar com o Itep e, futuramente, uma terceira estação será instalada na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), em Santa Maria (RS), constituindo um sistema para compartilhar os dados das instituições envolvidos no projeto.

SISTEMA – Assim como o sistema GPS, o sistema Glonass foi desenvolvido inicialmente para fins militares. O primeiro satélite foi lançado em 1982. O número de satélites foi gradualmente aumentado até obter-se uma constelação entre 10-12 satélites que permitiu definir o sistema como operacional (mas não com cobertura global) em 1993. A crise econômica advinda do fim da União Soviética reduziu os investimentos no sistema. Na década de 2000, a restauração do sistema foi feita e o financiamento foi aumentado substancialmente. A partir de 2003, uma nova geração de satélites (Glonass-M) foi lançada e, em outubro de 2011, o sistema tornou-se completamente operacional e, possuindo 24 satélites, passou a possibilitar cobertura global. Também em 2011 foi lançado o primeiro satélite da terceira geração de satélites Glonass, chamada de Glonass-K, cuja proposta é atualizar completamente o sistema até o ano de 2021.








Com informações da assessoria.





























Ads Inside Post