terça-feira, 29 de março de 2016

Comissão da OEA denuncia aumento da violência contra jornalistas na América

América se tornou uma das regiões mais perigosas do mundo para exercer o jornalismo

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos, entidade autônoma da Organização dos Estados Americanos (OEA), denunciou o aumento da violência contra jornalistas em 2015. Segundo o órgão, pelo menos 27 profissionais de imprensa foram mortos na América.

Segundo a Agência Lusa, a Comissão classificou como "alarmante" o crescimento do número de assassinatos pelo terceiro ano consecutivo. Em 2014, foram registrados 25 homicídios, enquanto no ano anterior houve 18.

“O continente tornou-se uma das regiões mais perigosas do mundo para exercer o jornalismo e as agressões mais graves, como o assassinato e o rapto, tornaram-se uma das piores formas de censura”, reforçou a entidade em seu relatório anual sobre liberdade de expressão.

Países como o Brasil, Honduras, México, Colômbia, Guatemala, República Dominicana, Estados Unidos e Paraguai registraram mortes de jornalistas no exercício da profissão. Grande parte dos casos ocorre pela cobertura de temas relacionados com o crime organizado ou corrupção política.






Do Portal Imprensa.























Ads Inside Post