sexta-feira, 18 de março de 2016

Morre vitralista Aurora de Lima, fundadora da Escola de Belas Artes

A UFPE e o Centro de Artes e Comunicação (CAC), em especial, lamentam o falecimento de uma das fundadoras da Escola de Belas Artes, a professora Aurora de Lima, que completaria 101 anos no mês de maio. A Escola de Belas Artes (1932) é uma das cinco instituições que, reunidas, deram origem à Universidade do Recife em 1946, hoje Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). A professora Aurora foi a única discípula do artista alemão Heinrich Moser, outro fundador da Escola, e é autora de importantes vitrais instalados no Recife. O sepultamento ocorrerá hoje (17), às 14h, no Cemitério Morada da Paz, onde está acontecendo o velório.

Seu trabalho mais conhecido são os vitrais do Cinema São Luiz, no centro do Recife, produzidos no ano de 1951 e que retratam dois grandes jarros coloridos de flores. Outra importante obra são os vitrais da Biblioteca Central da UFPE, que funcionam como parede externa da escadaria principal do prédio. Construído em 1973, com uma altura de 15,80 metros e 4 metros de largura perfazendo aproximadamente 63m², é o maior vitral da cidade do Recife. Foi projetado por Arnaldo Baldini e adaptado para vitral pela professora Aurora de Lima.

Ela foi docente do Departamento de Teoria da Arte e Expressão Artística e atuou na graduação e em atividades de extensão. Seu ateliê ficava no prédio da Escola, onde hoje funciona a Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia de Pernambuco (Facepe), em frente ao Centro Cultural Benfica. Graduou-se em Escultura pela Escola de Arte do Recife e em Filosofia pela Universidade Católica de Pernambuco. Além de vitrais, fazia trabalhos em pintura, desenho e tapetes. Mas seu grande amor eram os vitrais, porque ela podia se expressar na cor em toda a sua profundidade, como ela falava.

Após aprender com o mestre Moser, que trouxe a sua arte para o Recife em 1910, e é autor dos vitrais do Palácio da Justiça, da Igreja da Madre de Deus, da Basílica do Carmo e da Igreja das Graças Estado, Aurora buscou repassar a sua arte aos seus alunos dos cursos de Arquitetura e Artes Plásticas. Sua principal discípula foi a professora Suely Cisneiros, do Departamento de Teoria da Arte e Expressão Artística da UFPE.

O primeiro vitral de Aurora de Lima, retratando São Miguel, foi produzido para o Palácio São Miguel, sede da Administração de Fernando de Noronha, datado de 1947. Outros vitrais foram confeccionados para igrejas, conventos, edifícios públicos e residências no Recife e outros lugares do Brasil. Retratava flores, árvores, pássaros, borboletas coloridas, céu e mar, temas bíblicos e figuras de anjos e santos.








Com informações da assessoria.























Ads Inside Post