quarta-feira, 16 de março de 2016

UFPE e pesquisadores japoneses discutem cooperação para combater vírus da zika

Fotos: Passarinho

Promover a cooperação com o Japão para buscar entender e solucionar, com a maior brevidade possível, a epidemia do vírus zika no Brasil. Esse foi o fio condutor da reunião ocorrida ontem (10) entre o reitor Anísio Brasileiro e a vice-reitora Florisbela Campos com a delegação formada por pesquisadores do Japão e representantes do Ministério da Saúde do Brasil, do Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami (Lika) e do Núcleo de Saúde Pública e Desenvolvimento Social (Nusp), estes dois últimos da UFPE. “A ideia é fazermos uma cooperação científica utilizando a tecnologia que já existe no Japão e desenvolvendo outras para solucionar o problema do zika, que é mais sério em nossa região, mas pode se alastrar para outros locais”, disse o diretor do Lika, José Luiz de Lima Filho. 

De acordo com o reitor Anísio Brasileiro, a atuação UFPE–Japão envolve o estreitamento de esforços para que o conhecimento dos dois países seja utilizado no combate das diversas manifestações virais, como a zika; o estudo de questões no âmbito do desenvolvimento sustentável; e a mobilidade de estudantes e pesquisadores entre a Universidade Federal de Pernambuco e instituições de ensino superior japonesas. “Dessa forma, poderemos fortalecer a qualidade de nossa formação acadêmica na graduação e na pós-graduação”, disse o reitor Anísio Brasileiro.


HOMENAGEM – O Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami (Lika) da UFPE foi homenageado em sessão solene na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) ontem (10), às 18h. A homenagem integra as comemorações dos 30 anos do Lika. Na ocasião, o professor Seiki Tateno (National Center for Global Health and Medicine), do Japão, proferiu palestra sobre os 30 anos do Lika. Tateno e o professor da UFPE Luiz Bezerra de Carvalho foram, juntos, os primeiros diretores do Lika.








Com informações da assessoria.






























Ads Inside Post