quinta-feira, 14 de abril de 2016

Conheça os finalistas brasileiros da 'Copa do Mundo da Computação'


A Microsoft anunciou nesta semana os nove projetos finalistas da Imagine Cup 2016, a 14ª edição de sua competição de tecnologias. Foram escolhidos três projetos de cada uma das seguintes categorias: Games, Inovação e Cidadania. Os projetos escolhidos vieram de seis estados diferentes do país.

A competição foi criada em 2003 com o objetivo de incentivar jovens a pensar novas formas de melhorar nossas tarefas do dia-a-dia por meio da tecnologia. Desde então, mais de 200 mil brasileiros já passaram por ela. Nesta edição, mais de 1500 estudantes participaram, inscrevendo um total de 245 projetos.

Os nove finalistas disputarão a final do torneio em Belo Horizonte no dia 28 de abril. O vencedor dessa etapa representará o Brasil na final mundial, em Seattle nos EUA, e terá a chance de ganhar um prêmio de US$ 50 mil. No ano passado, a final mundial foi vencida por uma equipe brasileira, chamada de E-FitFashion, que criou um software chamado "Clothes For Me" para simplificar o processo de compra de roupas sob medida pela internet.

Veja abaixo os finalistas de 2016:

Games

Bus Game (PE)

Criado por alunos da Escola Técnica ETEPAM e da Universidade Federal de Pernambuco, o jogo para smartphones e tablets tem os ônibus como tema principal. O objetivo do jogo é ajudar o personagem escolhido a pegar o ônibus, e o jogo é adequado a pessoas de todas as idades.

Do a Barrel Throw (SP)

Com nome inspirado no meme de Slippy, do Star Fox, o jogo traz uma personagem russa que precisa jogar barris cada vez mais alto. Criado por um grupo de estudantes da Unesp Bauru

Sonho de Jequi (MG)

A equipe de alunos da PUC-MG criou um jogo com arte 3D inspirada em aquarela e música do artista Rubinho0 do Vale. Em "Sonho de Jequi", os jogadores controlam o personagem que dá nome ao jogo, que precisa ir buscar água, e ainda têm a oportunidade de conhecer o Vale do Jequitinhonha e doar dinheiro para as famílias que enfrentam secas nas regiões áridas de Minas Gerais.


Inovação

EchoSense (RS)

Trata-se de um app voltado para deficientes visuais, que usa sensores ultrassônicos e motores de vibração para dar aos usuários um melhor senso de distância: quando mais próxima a pessoa está de um objeto, mais forte a vibração. O projeto foi elaborado por dois estagiários do CEntro de Inovação de Microsoft da PUC-RS.

Dreampper (SP)

Projeto de três alunos da Universidade de Taubaté (SP), a Dreampper é uma rede social que permite que seus usuários compartilhem momentos de sua vida, mas também possibilita discussões sobre séries de TV, filmes, jogos e livros, por exemplo. Ela também terá uma loja que promete mudar a forma de se criar anúncios em redes sociais.

Vehicular Black Box (SC) 

Três alunos da UNISOCIESC criaram o aplicativo Vehicular Black Box, cujo principal objetivo é auxiliar nas reconstituições de acidentes automobilísticos. O app ainda tem o potencial de gerar novos produtos na área de seguros.


Cidadania 

Bridge (SP)

Dois estudantes e um professor da EACH-USP levaram à Imagine Cup o aplicativo Build. Trata-se de uma plataforma de apoio a crianças com deficiências cognitivas e motoras como paralisia cerebral e distrofia muscular. Ela inclui jogos adaptados e divertidos que incentivam a criança a realizar pequenos movimentos e fisioterapia.

Appdemia (ES)

Um aplicativo da área da saúde que permite que qualquer pessoa registre sintomas e diagnósticos, o Appdemia ajuda a mapear focos de doenças e facilita o acesso a informações pelos usuários, além de auxiliar profissionais e entidades públicas na elaboração de políticas públicas de saúde.

Omni (SC)

O dispositivo de Internet das Coisas (IoT) desenvolvido por dois estudantes de Joinville tem como objetivo levar aulas interativas para salas de aula sem internet.






Do portal Olhar Digital.





























Ads Inside Post