terça-feira, 5 de abril de 2016

OAB-PE discute as arboviroses no Dia Mundial da Saúde


Em alusão ao Dia Mundial da Saúde (celebrado em 7 de abril), a OAB-PE entra no debate do surto de arboviroses no Estado, em consequência dos focos do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, Chikungunya e zika que crescem. A Comissão de Direito de Saúde da Ordem discutirá acerca do combate, consequências e as implicações jurídicas decorrentes das doenças transmitidas. O encontro será dia 07 de abril (quinta-feira), na Uninassau, a partir das 18h30.

O evento, aberto ao público, terá início com o presidente da OAB-PE, Ronnie Preuss Duarte e em seguida haverá o debate do primeiro painel sobre o combate ao mosquito de caráter informativo e crítico. À frente, a médica sanitarista, professora da UPE, pesquisadora da Fiocruz/PE Lia Giraldo da Silva Augusto. A especialista abordará a temática “Estratégias de combate: críticas e sugestões”. Já o médico pediatra e alergista Pedro Carneiro, falará sobre “Profilaxia, transmissão e doenças: uma visão panorâmica”.

O segundo painel tratará das questões ético-jurídicas (microcefalia, aborto, etc) com o médico, professor e conselheiro do Cremepe Olímpio Barbosa Moraes Filho. Ele fará palestra sobre “Questões Éticas na Interrupção da Gravidez nos Casos de Microcefalia”. Em seguida terá a advogada, doutoranda em Direito pela Universidade Católica de Pernambuco, mestre e especialista pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, Portugal e em Gestão Ambiental pela FUMEC; conselheira Federal da OAB (Paraíba), e professora universitária, Marina Motta Benevides Gadelha, que falará sobre implicações jurídicas. O encerramento do encontro será feito pelo presidente da Comissão de Direito da Saúde, Vinicius de Negreiros Calado.

Dados - em menos de um mês os casos de arboviroses dobrabram em Pernambuco, de acordo com dados do Governo do Estado.  São 12.269 pacientes com suspeita de ter a doença. No dia 1º de março, esse número era de 6.076.

Até agora, foram confirmados 288 casos de chikungunya e 408, descartados. Desde o dia 3 de janeiro, houve duas mortes confirmadas no município do Recife. Ao todo, 116 óbitos podem ter sido causados por arboviroses -- doenças transmitidas por mosquitos. A chikungunya provoca dores fortes nas articulações e inflamações nas mãos, joelhos, punhos e tornozelos. Em geral, mesmo depois de curado, o paciente pode sentir esses sintomas por meses.

O Governo também confirmou casos de Zika pela primeira vez no Estado. São quatro, um em Camaragibe e três em Sanharó, no Agreste. Desde o dia 3 de janeiro, foram 6.843 notificações. Seis foram descartados. No ano passado, 1.386 casos foram notificados e 46 confirmados em 20 municípios.

Já de dengue há um total de 41.531 casos sendo investigados. O dado representa um aumento de 70,26% em comparação com o ano passado, quando houve 24.431 notificações. Ainda segundo o poder público, 5.844 pacientes tiveram diagnóstico confirmado da doença em 182 municípios e no distrito de Fernando de Noronha. As cidades que registraram o maior número de notificações por 100 mil habitantes foram Itambé, Camutanga, Goiana e Brejo da Madre de Deus.




Com informações da assessoria.























Ads Inside Post