quarta-feira, 25 de maio de 2016

Educação afetada com novas medidas


Folha-PE

As medidas para reduzir os gastos públicos anunciadas, na terça-feira (24), pelo Governo Federal interino, pretendem desvincular do PIB os investimentos da saúde e da educação, criando um limite que será acrescido, a cada ano, apenas do valor referente à inflação. As mudanças que serão propostas ao Congresso ainda não foram detalhadas, mas já causam receio em Pernambuco quanto à possibilidade de cortes e a inviabilidade de expansão do ensino público. 

Para o coordenador-geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Daniel Cara, o limite é uma demonstração de que a área não é prioridade do Governo interino. O déficit de vagas nas universidades públicas no Brasil é de 2 milhões de vagas. Nas creches, 3,4 milhões. Nas escolas técnicas, o pior cenário, é de 4 milhões. “É mais do que novas vagas deixando de ser criadas. Essa proposta está ligada a uma má qualidade do ensino”, comentou.







Saiba mais aqui.























Ads Inside Post