quarta-feira, 11 de maio de 2016

Facebook é acusado de filtrar postagens de certas ideologias políticas

Sabe aquelas teorias da conspiração de que notícias sobre determinado partido político ou parlamentar simplesmente não aparecem para você ou parecem "escondidas" nas redes sociais? Aparentemente, e ao menos nos Estados Unidos, isso não era só uma acusação infundada.
Um jornalista que trabalhou no Facebook denunciou ao site Gizmodo que funcionários da rede social frequentemente escondiam notícias de interesse de leitores mais conservadores. Novidades sobre o evento Conservative Political Action Conference (CPAC) e ex-candidatos republicanos, como Mitt Romney e Rand Paul, estavam entre os tópicos filtrados — mesmo que as postagens em si tivessem um alto alcance orgânico.
Notícias sobre o Facebook em si eram terminantemente proibidas de serem impulsionadas. E esses "curadores de notícias" também faziam o trabalho contrário, aumentando artificialmente a popularidade de certos artigos. Isso aconteceria mais no Trending, a ala do Facebook que disponibiliza quais assuntos são os mais populares no site atualmente.
Que feio, Facebook!
"Dependendo de quem estava no turno [de trabalho], alguns assuntos estariam na lista negra ou bombando", disse uma das fontes anônimas ao Gizmodo. Isso significa que o próprio Facebook, apesar de vender a imagem de que os próprios usuários fazem com que certos conteúdos fiquem mais populares, funciona mesmo como uma redação: são seus empregados que decidem, de acordo com as próprias visões políticas e preferências, o que ganha espaço e o que fica de fora.

"Se parecesse que muitos sites estavam cobrindo a história, podíamos injetá-la mesmo que não ficasse popular naturalmente"
Outra consequência é que várias notícias impactantes eram deixadas de fora do algoritmo do Facebook, a não ser que uma grande quantidade de portais de renome (New York Times, BBC, CNN e por aí vai) também postassem a matéria. Se apenas um site muito de direita desse a notícia, o ideal era esperar para linkar um site maior e menos idealizado.

A notícia sobre o Facebook apareceu nos Trending Topics do Facebook nos EUA
Curiosamente, a história publicada pelo site foi parar nos assuntos do Trending do Facebook — mas com os links mais populares não direcionando para a reportagem original.

A resposta do Facebook

A rede social emitiu um comunicado oficial a respeito do tema, negando as acusações. Confira na íntegra (traduzido do original em inglês):
"Levamos alegações de favorecimento muito seriamente. O Facebook é uma plataforma para todas as pessoas e perspectivas do espectro político. Os Trending Topics mostram os tópicos populares e as hashtags que estão sendo comentadas no Facebook. Há métodos rigorosos aplicados pela equipe de revisão para garantir consistência e neutralidade. Esses métodos não permitem a supressão de perspectivas políticas. Elas também não permitem a priorização de um ponto de vista sobre outro ou um portal sobre outro. Esses métodos não proíbem nenhuma fonte de notícias de aparecerem nos Trending Topics."






Do portal TecMundo.






















Ads Inside Post