quarta-feira, 11 de maio de 2016

TV Universitária da UFPE desbravou caminhos das TVs educativas brasileiras

Por Marcelo Morais

Dissertação defendida no Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPE faz “o resgate histórico de uma história não documentada” da pioneira dos canais educativos, a TV Universitária da UFPE. Realizada pela jornalista e publicitária Maria Clara de Azevedo Angeiras e defendida em abril do ano passado (2015), a pesquisa faz uma minuciosa imersão na criação das TVs educativas no Brasil e constata, do ponto de vista histórico, a importância da emissora, responsável pelo desbravamento na legislação, na operação técnica e na capacitação de profissionais de televisão e educação.

Professor Manoel Caetano e a família do engenheiro japonês Sakurai

Criada com fins educativos, para atender à demanda de um país de proporções continentais, com necessidades técnicas e com uma grande quantidade de analfabetos, em um período político e cultural conturbado, 1968, a pernambucana TV Universitária, que integra o Núcleo de Televisão e Rádio Universitárias (NTVRU), torna-se um importante canal de formação do cidadão e de difusão da cultura regional, aponta a dissertação orientada pelo professor Edilson Fernandes de Souza.

Segundo Angeiras, não há como abordar a criação da TVU sem falar do cenário político em que ela foi criada, da história da radiodifusão e das políticas educacionais do Brasil nos anos 60. Com essa abrangência, a pesquisa agrega uma importante contribuição ao Núcleo de História da Educação da UFPE, bem como à história da própria Universidade. “O resgate de fatos e atos que possibilitaram a operacionalização da emissora da UFPE visou preencher uma lacuna histórica do reconhecimento público do pioneirismo da Teleducação em Pernambuco”, afirma a pesquisadora.


Murilo Guimarães na unidade móvel, equipada para gravações externas 

Para Angeiras, a pesquisa toma novo fôlego com o fim do sinal analógico, pois com o sinal digital se inicia um novo ciclo na história da televisão pernambucana e dos canais educativos. O trabalho conta com um acervo de fotos, documentos oficiais, programas antigos de TV, além dos relatos de pessoas envolvidas nos eixos da pesquisa, embasada em teóricos como Pierre Bourdieu, Demerval Saviani, Otaíza Romanelli, Antonio Montenegro e Flávio Brayner.

HISTÓRIA – A idealização do canal se deu pelo catedrático em Geometria Descritiva Manoel Caetano Queiroz de Andrade, empolgado com as possibilidades criadas a partir do uso do vídeo para ensinar artes e ofícios. A ideia, que mostrou o uso da TV de forma institucional, fora defendida na tese “Como ensinar desenho pela televisão”, da professora Fernanda Ferracini.


Programa “Cadeira giratória” era apresentado por José Maria Marques

O professor Manoel Caetano se aprofundou no assunto e, com o apoio do então reitor Murilo Humberto de Barros Guimarães, encaminhou, em 1964, ofício ao presidente do Conselho Nacional de Telecomunicações (Contel), com a proposta da concessão de um canal à UFPE, que só viria a ocorrer em 11 de janeiro de 1966.

Depois da cessão do terreno pelas Forças Armadas, construção do prédio e aquisição do material tecnológico necessário, a TVU passou por uma fase de testes e logo em seguida, no dia 22 de novembro de 1968, foi inaugurada, configurando-se como a mais antiga TV universitária em atividade no país.

Mais informações

Programa de Pós-Graduação em Educação
(81) 2126.8327 / 8334

Maria Clara de Azevedo Angeiras
(81) 99978.9987 (para uso exclusivo da imprensa)
mcangeiras@hotmail.com




Com informações da assessoria.

































Ads Inside Post