segunda-feira, 13 de junho de 2016

Ferramenta de denúncia do Facebook não vê nada de errado com tráfico de drogas


Nesta semana, o Olhar Digital lançou uma segunda reportagem que mostra que existe um submundo do crime dentro do Facebook. Foram encontradas evidências claras de tráfico de drogas, armas e até venda de dinheiro falso na rede social. A ferramenta de denúncia da rede social, no entanto, não entendeu bem assim.
De acordo com os Padrões de Comunidade da rede social, a venda de maconha (a qual subentende-se que a rede também não permita a comercialização de outras drogas), armas de fogo, medicamentos controlados é proibida no site. Há inclusive uma opção de denúncia própria para isso, como pode ser visto abaixo:

Apesar disso, duas denúncias efetuadas contra grupos que comercializam drogas, armas, dinheiro falso e outros produtos ilegais não foram interpretadas pela ferramenta de alerta da rede social como comunidades que violam os termos da plataforma. A resposta demorou cerca de 16 horas para chegar:


Para que não exista nenhuma dúvida, o grupo denunciado foi o mesmo em que encontramos diversas publicações proibidas, como a que está abaixo. O motivo do grupo inteiro ser denunciado e não apenas uma única publicação, como sugere o Facebook na resposta recebida, deu-se pelo fato de que quase todas as postagens oferecem produtos e serviços criminosos.


Por não ter sido apagado, o grupo continua funcionando livremente na rede social. Hoje mesmo, usuários enviaram anúncios na página anunciando o comércio de outras drogas:


Entramos em contato com o Facebook para comentar sobre a existência dessas páginas e ouvimos de um um porta-voz da empresa que "mais pessoas passaram a utilizar o Facebook para descobrir novos produtos e para comprar e vender coisas" e, por essa razão, a companhia atualizou a "política de bens regulamentados".




 Do portal Olhar Digital.






























Ads Inside Post