segunda-feira, 25 de julho de 2016

Os vacilos que levaram o operador do maior site de pirataria do mundo a ser preso

Aqui vai uma dica: se você estiver no meio de uma operação ilegal de torrent gigantesca, não use um e-mail da Apple. E por tudo que for mais sagrado, não use o Facebook.

Infelizmente, Artem Vaulin, 30, cometeu esses erros enquanto operava o Kickass Torrents, uma fonte popular para links de arquivos de torrent, que pode ser usada para baixar ilegalmente músicas, filmes e programas de TV. Apple e Facebook não têm nenhum problema em ceder informações como endereço IP e histórico de compras quando chega um mandado judicial. Foram essas informações que ajudaram os investigadores dos Estados Unidos a pegarem Vaulin.

Esses atos no Facebook e em sua conta da Apple foram movimentos imprudentes e que podiam ser evitados. Ao utilizar um serviço de e-mail temporário, Vaulin poderia estar operando seu site de torrents.
As besteiras de Artem Vaulin
Pelo que vimos no processo criminal contra Vaulin, as autoridades conseguiriam localizá-lo pelo endereço IP. Porém, vamos percorrer pelos caminhos que levaram a polícia até ele.

Primeiro, por alguma razão, o cara estava operando a fan page do Kickass Torrents no Facebook. Provavelmente para promover links por lá, mas isso foi um baita movimento burro. Isso é completamente inaceitável se você opera uma companhia ilegal.
Ao fazer isso, Vaulin basicamente cedeu todos os seus dados relacionados ao Facebook aos investigadores dos Estados Unidos. Quando o governo dos Estados Unidos chegou com um pedido judicial para obter dados da fan page dele no Facebook, a empresa cedeu informações de log e revelou que Vaulin estava usando um conta de e-mail “@me.com” para fazer login na rede. E quem é que é dona do domínio me.com? A Apple.
Na sequência, as autoridades foram até a Apple e, basicamente, pediram todos os dados disponíveis sobre a conta tirm@me.com, a conta de e-mail de Vaulin. E a situação do cara só foi piorando.
Vaulin usou sua conta “@me.com” para fazer uma compra no iTunes. Para sorte dos investigadores, toda vez que você faz uma aquisição na plataforma, seu IP é gravado. As autoridades, então, usaram o endereço IP para determinar dados da conta de bitcoin do operador do Kickass Torrents.
Autoridades também conseguiram descobrir que a conta de e-mail de Vaulin estava recebendo alertas referentes à administração de tarefas administrativas do Kickass Torrents. Uma outra decisão errada em uma escalada de resoluções descuidadas e preguiçosas que acabaram levando à sua queda.
É quase como ocorreu com o fundador do Silk Road, Ross Ulbricht, que usou seu nome real para fazer perguntas sobre o Tor no fórum de programadores Stack Overflow. Um erro estúpido que ajudou a polícia a prendê-lo.

Toda essa falta de cuidado fez com que os investigadores prendessem Vaulin. É engraçado ver como pessoas que cuidam de grandes operações online ilegais parecem não se importar muito com segurança.
“Vaulin é responsável por operar o maior site de compartilhamento de conteúdo ilegal e por distribuir de forma ilegal cerca de US$ 1 bilhão em materiais protegidos por direitos autorais”, disse o procurador-geral adjunto Leslie Caldwell, em um comunicado. “Em um esforço para escapar da justiça, Vaulin confiava em servidores ao redor do mundo e movia seus domínios em função de repetidos processos e ações civis. Sua prisão na Polônia, no entanto, demostra que os cibercriminosos podem correr, mas eles não podem se esconder da justiça.”





Do portal Gizmodo Brasil.

























Ads Inside Post