quarta-feira, 13 de julho de 2016

Sesc movimenta programação com várias linguagens artísticas no FIG



Exposição, debates, espetáculos, performances, além de apresentações culturais da cena pernambucana. É com uma programação bem diversificada, e que passeia por várias linguagens artísticas, que o Sesc marca presença no Festival de Inverno de Garanhuns 2016. As atividades são gratuitas e contemplam o público de todas as idades.

No dia 21, a Galeria de Artes Ronaldo White, localizada dentro da unidade, recebe a exposição “Imaginação à Deriva”. A mostra apresenta as obras do artista plástico Daniel Santiago. O vernissage acontece às 17h. Durante o Festival, a visitação poderá ser realizada todos os dias, das 9h às 21h.

“Há 10 anos o Sesc Garanhuns integra uma programação cultural à do Festival de Inverno. Cortejos de tradição, intervenções, apresentações de dança, teatro e música completam as atividades oficial do evento”, explicou o supervisor de Cultura da unidade, Josimar Araújo. Ao todo, são cerca de 20 ações divididas em vários polos.

Na Praça Souto Filho, no bairro de Heliópolis, conhecido como polo da Praça da Palavra recebe, no próximo dia 23, debate com o escritor e jornalista Raimundo Carreiro e  mediação de Mário Rodrigues. Até o dia 29, o local recebe diversas ações. Entre elas: contação de histórias com o Grupo Encantadores (25), debate com o escritor do município Matheus Rocha (26), atividades lúdicas para o público infantil com a Companhia Faz de Conta (27) e o Coletivo Lear (28).

“A linguagem de literatura tem se projetado de forma grandiosa. O Laboratório de Autoria Literária Luzinette Laporte, que incentiva a troca de ideias sobre o mundo das letras, elabora programação que se une à Praça da Palavra”, disse Josimar.

Livros – O primeiro lançamento acontece no dia 26. O escritor do município Matheus Rocha apresenta “Inteligência das Coisas Cegas”, que traz 13 contos. Já no dia 28, é a vez do autor Wagner Marques com a publicação “Isso que Escorre”, na Praça da Palavra, com sessão de autógrafos e debate. O título tem 15 contos, das várias formas da tragédia humana, e ganhou “Menção Honrosa” no III Prêmio Pernambuco de Literatura (2015), realizado pelo Governo de Pernambuco. Na lista também está “Claranã” (30). Escrito por Cida Pedrosa, são 40 poemas com métrica e rima da literatura de Cordel e dos gêneros tradicionais da cantoria.

Peça – O Teatro Luiz Souto Dourado recebe no dia 23 o espetáculo “Nações Africanas”, do Balé de Cultura Negra, do Recife. No palco, a grande variedade do continente africano, onde seis nações mostram sua identidade própria e herança cultural. Na agenda, o público também pode conferir no dia 26 a comédia “WWW para Freedom”, do grupo Barracão Teatro, de São Paulo, que aborda através do jogo do palhaço, a história de soldados que são mandados para libertar um povo da ditadura.

O Teatro de Rua também tem vez. No Espaço Colunata, no dia 28, tem a apresentação de “Re-te-tei”, da Tropa do Balacobaco, de Arcoverde, que traz uma brincadeira de mamulengo - técnica originaria do Estado - cantada e tocada pelo Samba de Coco. No dia seguinte (29), tem Espelho da Lua, apresentado pelo mesmo grupo. Já em performance de rua, o hall do Teatro Luiz Souto Dourado e o Parque Euclides Cunha recebem “Diafragma: Dispositivo Versão Beta”, de Flávio Pinheiro. 

Cultura Popular – Nesse palco, tem Samba de Coco de Santa Luzia (23) e o  Maracatu Estrela Nascente (25) faz cortejo pelas principais ruas da cidade, com saída do Sesc. No dia 26, outro cortejo também ganha a cidade com as quadrilhas juninas. Participam Os Filhos de Lampião (Correntes), Lago Serrano (Lagoa do Ouro), Luar do Sertão (Brejão) e Pé na Roça (São João).





Com informações da assessoria.
























Ads Inside Post