quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Evento debate violência contra mulher negra

Também serão abordados os 10 anos da Lei Maria da Penha

A UNINASSAU – Centro Universitário Maurício de Nassau, por meio do Núcleo de Estudos Afrobrasileiros, Indígenas e de Povos Tradicionais (NEABIT), promove, na próxima quinta-feira (04), o evento Violência Contra a Mulher Negra: 10 anos da Lei Maria da Penha. A atividade, aberta ao público, será realizada das 19h às 22h no Bloco B da unidade, situado na Rua Guilherme Pinto, 400, Graças, e irá contar com uma mesa redonda debatendo o tema.

A apresentação da mesa ficará a cargo da coordenadora do curso de Serviço Social da UNINASSAU e membro do NEABIT, Michelli Nascimento. Já a composição da mesma contará com a coordenadora da Política de Saúde Integral da População Negra da Prefeitura do Recife, Rosimary Santos; a coordenadora do Núcleo da Cultura Afrobrasileira do Recife, Alzenide Simões; o gerente de Igualdade Racial e Coordenador do Programa de Combate ao Racismo Institucional da Prefeitura do Recife, o psicólogo social Samuel Barros; a assistente social da 1ª e 3ª Vara da Mulher do Recife, Débora Oliveira. A palestra de abertura será realizada pela professora Regina Célia, integrante do Instituto Maria da Penha.

Os interessados em participar do evento devem doar um kit de higiene pessoal feminina, contendo pasta de dente, absorvente, desodorante, sabonete ou xampu e condicionador no local. Os donativos serão destinados ao Centro de Acolhimento de Mulheres Vítimas de Violência – Clarice Lispector.

Lei Maria da Penha - A Lei 11.340 de 2006 completa uma década em agosto deste ano. Mais conhecida como Lei Maria da Penha, este dispositivo legal foi criado para coibir e prevenir a violência doméstica e familiar contra a mulher. Desde sua criação, a Lei vem ajudando também a evitar casos de homicídio, apesar de esse não ser o foco do dispositivo. De acordo com uma pesquisa do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada do Governo Federal) publicada em março de 2015, houve uma diminuição de cerca de 10% na taxa de homicídio contra as mulheres dentro dos lares desde a implementação da Lei. “Os resultados mostraram unanimemente que a introdução da LMP (Lei Maria da Penha) gerou efeitos estatísticos significativos para fazer diminuir os homicídios de mulheres associados à questão de gênero”, segundo o texto do IPEA.







Com informações da assessoria.


























Ads Inside Post