terça-feira, 13 de setembro de 2016

Agentes de segurança do estado protestam contra política trabalhista do governo Temer e a (in)segurança pública de Pernambuco

Foto divulgação/Google
Fruto de uma articulação sem precedente entre setores da segurança pública pernambucana, policiais civis, militares, bombeiros, guardas municipais, agentes penitenciários, rodoviários e ferroviários federais, que atuam no estado, uniram-se em torno de uma pauta única, formando o movimento “Por mais segurança e menos violência”. O grupo se reuniu pela primeira vez há cerca de um mês, para avaliar e desenvolver estratégias conjuntas contra o pacote de medidas econômicas apresentando pelo governo de Michel Temer ao Congresso. Mas, diante da profunda crise da segurança pública de Pernambuco, quando até delegacias são frequentemente assaltadas, o tema foi incorporado na pauta da manifestação que acontece nesta terça-feira (13), às 14h, com concentração na Praça do Derby e passeata que segue até o Palácio do Governo.

Conhecido como “Pacote de Maldades” do governo federal, os ajustes se apoiam na aprovação da PEC 241 e dos PLP’s 257 e 268, que lançam sobre a classe trabalhadora a responsabilidade pela conjuntura econômica do país, causada pela incompetência e corrupção deste e de governos anteriores. Para o Presidente do SINPOL, Áureo Cisneiros, as medidas apontadas como a saída da crise representam, na verdade, um grande retrocesso ao país, atingem direitos fundamentais e contribuem para o aprofundamento do colapso da segurança pública de Pernambuco. “Não aceitaremos pagar essa conta cruel, enquanto os gastos públicos continuam a aumentar para manter os privilégios de poucos. Contudo, para nós pernambucanos(as), os desafios ainda são maiores. Estamos convivendo com o medo diariamente. A criminalidade cresce vertiginosamente por conta de um Pacto Pela Vida falido, pela falta de investimentos em condições de trabalho para os agentes públicos da segurança e pelas reiteradas arbitrariedades cometidas pela cúpula da SDS, principalmente pelo Corregedor Geral, Servilho Paiva”, avalia.

O Movimento “Por mais segurança e menos violência” pretende dialogar e envolver outras categorias nessa grande articulação que começa em Pernambuco, mas já se ramifica Brasil adentro. É do interesse de toda a sociedade brasileira barrar esse pacote de medidas, que veio para aprofundar as desigualdades sociais do país. Tão importante quanto, é a situação em que se encontra a segurança pública do nosso estado, afligindo tanto policiais quanto sociedade. Para vencer esses desafios a união entre categorias, servidores e sociedade é fundamental. Assim também pensa o Presidente da Ordem dos Policiais do Brasil (OPB), Frederico França. “Só através de muita união, nossos desafios serão vencidos. Descobrimos que temos uma série de demandas em comum. Sendo assim, estamos formando um conselho estadual composto por integrantes de todas as categorias para iniciarmos uma série de ações como essa", revela.






Com informações da assessoria.



























Ads Inside Post